Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

Nota de repúdio a decreto antidemocrático de Azambuja

Imprimir

30 de agosto de 2017

Nós trabalhadoras e trabalhadores reunidos na 15ª Plenária Nacional da CUT/Congresso Extraordinário e Exclusivo vimos por meio desta manifestar o nosso veemente repúdio à atitude antidemocrática feita pelo Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), que emitiu decreto na manhã do dia 28 de agosto, proibindo manifestações no Parque dos Poderes, sede dos três poderes no Estado.

Este é um flagrante ataque à democracia, aos direitos civis, uma prática antissindical que beira à ditadura e que ainda por cima vem a estabelecer multas altíssimas, visando coibir a livre manifestação das pessoas e seu direito de ir e vir.

Nós sabemos o porquê disso. Há bem pouco tempo o senhor Reinaldo Azambuja foi envolvido em escândalo nacional, a delação premiada de Joesley Batista, um dos proprietários da JBS, que alega que tucano recebeu 47 milhões de reais em propina.

O Governo do Estado de Mato Grosso Sul ainda não confirmou se vai pagar o décimo terceiro salário deste ano, para os servidores públicos estaduais e ofereceu também neste ano, 2,94% de reajuste, um dos piores do país.

O decreto em questão cita que esta medida arbitrária tem a ver com a preocupação do governo do PSDB com o meio ambiente. Ao mesmo tempo que os tucanos apoiam o aumento da exploração e mineração na Amazônia!

O Parque dos Poderes é um patrimônio histórico e cultural, palco de manifestações históricas do povo sul-mato-grossense.

Não aceitamos e repudiamos fortemente esse decreto.

Congresso Extraordinário e Exclusivo da Central Única dos Trabalhadores!

A delegação da CUT de Mato Grosso do Sul acaba de inscrever esta moção de repúdio na coordenação do evento.