Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

MAIS UMA VOZ FOI CALADA! MAS NÃO CALARÃO A VOZ DE UMA MULTIDÃO!

Imprimir

16 de Março de 2018

MARIUZA A. C. GUIMARÃES – Presidenta da ADUFMS-Sindicato, professora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

 

Foto reproduzida de Nossa Política (<https://nossapolitica.net/2018/03/quem-era-marielle-franco/>)

Choro por Marielle (foto) e por tantos que tombaram na luta. Ressuscitaram no facebook um post que atribuem ao pastor Claudio Duarte, por quem tenho admiração e, se fez o comentário, errou. Não é que não nos importamos com as vidas perdidas no Rio de Janeiro. Nos importamos muito, por isso lutamos por um mundo melhor. Por isso Marielle lutava e por isso perdeu sua vida.

Cansaço imenso de tentar explicar que não defendemos bandidos, mas que defendemos a vida, a liberdade, o direito de falar, de morar, de comer e, sobretudo, a dignidade de todas as pessoas.

Que bom seria que as pessoas não precisassem roubar, matar, que o mundo fosse um bom lugar para todos e todas. Que todos os bens pudessem estar disponíveis para todxs. Mas não é assim. Alguns dependem do Estado. Outros dependem de lutadores e lutadoras como Marielle e tantas outras lideranças que perdem as suas vidas e pelas quais choramos, pois sabemos que não se perdeu uma vida, mas que, além disso, calou-se uma voz que defende direitos, que defende dignidade, que defende o amor, a solidariedade, o compartilhamento. Nós, que somos militantes de tantas causas, deixamos nossas vidas para servir. Abrimos mão de família, de privilégios e de tantas outras coisas para lutar pela dignidade de tantos. Choro porque há uma intensa incompreensão do que significa uma vida que luta, que se coloca a serviço de outras pessoas. Nós, lideranças da classe trabalhadora, não temos um exército de pessoas que nos servem, mas continuamos na luta. Muitas vezes o motorista é o amigo, a amiga que se dispõe e que as vezes também perde a vida como aconteceu com o motorista que estava com Marielle, Anderson Pedro Gomes, que apesar de nada ter visto na mídia, deveria também ser um militante, pois assim são os que trabalham com os parlamentares de esquerda.

Choro porque calaram a voz de Marielle, mas acredito firmemente que sua morte não será vã. Outrxs jovens se levantarão em todos os recantos do Brasil. A luta de Marielle e de outrxs, cujas vozes foram caladas continuará.

MARIELLE! PRESENTE!

ANDERSON! PRESENTE!