1º de Maio é celebrado na paróquia São Francisco atendendo pedido de sindicalistas

05 fev, 2017 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire



celebração


Foto: Arquidiocese de Campo Grande

O 1º de Maio em Campo Grande foi marcado por uma celebração na igreja São Francisco. A cerimônia religiosa aconteceu a pedido da Frente Brasil Popular (FBP) e do Comitê Estadual contra as Reformas da Previdência e Trabalhista, dos quais a ADUFMS-Sindicato é integrante. A iniciativa foi mais um gesto concreto da CF  (Campanha da Fraternidade), em valorização aos povos originários dos biomas brasileiros.

Na abertura, no pátio da igreja, famílias Guarani e Terena, da Aldeia Urbana Água Limpa, fizeram a reza de agradecimento à vida, ao Dia do/a Trabalhador/a e de súplica pela demarcação das terras indígenas.

A celebração contou com a presença de afrodescendentes, sindicalistas, religiosos e representantes dos movimentos sociais que participaram da reza e da dança Guarani.

Em sua homilia, padre Agenor Martins afirmou palavras evangélicas sobre a missão do discípulo missionário que deve, em quaisquer circunstâncias e condições, promover, defender, resgatar e restaurar a dignidade da pessoa humana, criada à imagem e semelhança de Deus, do Deus da Vida. O trabalho justo assegura ao(à) trabalhador(a) os meios de desenvolvimento humano integral para si e sua família, além de desenvolver suas potencialidades.

A defesa dos direitos humanos, a seguridade social, a equidade de oportunidades para acesso ao emprego justo e seguro, principalmente ao primeiro emprego, foram também pautados na Carta Aberta do arcebispo metropolitano a todas/os as/os fiéis e cidadãs/ãos da Cidade Morena, distribuída ao final da santa missa. Dom Dimas Lara Barbosa demostrou preocupação da Igreja Católica Apostólica Romana com a reforma trabalhista, a terceirização e a reforma da Previdência, em tramitação no Congresso. Os padres celebrantes também condenaram a concentração da riqueza, a supremacia do capital sobre o trabalho e defenderam, acima de tudo, o direito à vida e à dignidade humana.



Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato, com informações do



site

da




Arquidiocese de Campo Grande

Confira as imagens da cerimônia em <

DSC_6350

>

Compartilhe: