22 de março: Dia Nacional de Lutas contra a Reforma da Previdência

01 jan, 1970 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

Fonte: ANDES-SN




Nesta sexta-feira (22) será realizado o primeiro dia nacional de lutas e paralisações contra a Reforma da Previdência apresentada por Bolsonaro. A data está sendo convocada de forma unitária pelas centrais sindicais brasileiras e terá adesão da classe trabalhadora.

Em Campo Grande, a Concentração começa às 8h, na Praça do Rádio Clube. Durante todo dia haverá atividades e panfletagens nos corredores da UFMS. A tentativa é de esclarecer os prejuízos advindos com a proposta do atual Governo e os propósitos não confessados, construídos sobre mentiras, sobre o falso déficit da Previdência. As assembleias da ADUFMS e do Sista-UFMS aprovaram a participação das categorias em todas as atividades.

Em várias cidades do país, trabalhadores e trabalhadoras irão às ruas contra o ataque às aposentadorias e aos direitos previdenciários. Estão previstos protestos, panfletagens e outras atividades para denunciar os ataques contidos na Reforma da Previdência, apresentada pelo governo Bolsonaro. A proposta é a construção de uma nova Greve Geral para barrar a aprovação da PEC 06/2019.

Sonia Meire, 2ª vice-presidente do ANDES-SN, conta que o sindicato definiu a luta contra a contrarreforma da Previdência como pauta prioritária no primeiro semestre. “Trata-se de uma contrarreforma que atinge a vida de todos os trabalhadores e trabalhadoras, na ativa e aposentados, incluindo nós, docentes. A contrarreforma retira amplia o tempo de contribuição, desrespeita e destrói direitos garantidos, em especial para as mulheres”, explica.

A diretora do Sindicato Nacional ressalta que, no caso da categoria docente, é importante ampliar a luta e mobilização para além das Instituições de Ensino. E reforça que é fundamental que as universidades, institutos e cefets paralisem as atividades no dia 22.

“Nós, docentes, temos que unificar essa luta com todos os demais sindicatos nos estados e também em Brasília. Fazendo pressão junto aos parlamentares que representam nossos estados no Congresso Nacional, realizando atos nas ruas, paralisações, na perspectiva de construção da greve geral em defesa da Previdência. Aposentadoria não é mercadoria!”, conclama.

 

Frente Parlamentar Mista

No dia 20, quarta-feira, será relançada no Congresso Nacional a Frente Parlamentar Mista em defesa da Previdência Social.  A Frente reúne mais de uma centena de sindicatos, associações, federações e centrais sindicais e dezenas de deputados federais e senadores. O ANDES-SN participa da construção da Frente e estará presente na atividade. Além do relançamento da Frente, também serão discutidas as estratégias para o próximo período.

Compartilhe: