ADUFMS critica cortes de serviços e aumento de taxas participativas do PAS-UFMS

09 fev, 2019 Adufms

 ⇒A REITORIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL (UFMS)  suspendeu alguns serviços do Programa de Assistência à Saúde (PAS) das/os servidoras/es e ainda reajustou os fatores participativos de exames em 150% e das consultas em 43%, no pronto atendimento (PA) e pronto-socorro (PS). As três portarias foram publicadas  ad referendum  no último dia 19 pela presidenta do colegiado do PAS, pró-reitora de G  estão de Pessoas (Progep), Carmem Borges Ortega. As modificações vão atingir 635 docentes e 2062 técnicas/os administrativas/os, além de seus/suas dependentes. Os novos valores e a suspensão dos serviços entraram em vigor em 1º de setembro. 

O presidente da  ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional  , professor Marco Aurélio Stefanes, afirma que a medida foi adotada sem discussão com as/os servidoras/es e promete atitudes para rever a decisão. “A reitoria decidiu de forma intempestiva e autoritária as alterações no Programa. A forma como se deram as decisões revela que não se busca equacionar os problemas de forma efetiva. Há um colegiado, uma instância de decisão, que foi desrespeitada. As instâncias devem ser acionadas para se buscarem alternativas que podem colaborar para a solução dos problemas, antes das tomadas de decisão. O que fizeram foi o contrário, infelizmente. Vamos estudar medidas para reverter essas decisões. Na Assembleia da próxima terça-feira 3, as/os docentes discutirão o problema." A resolução 02/2019 suspendeu a adesão de novos/as beneficiários/as titulares e agregados/as ao PAS, com exceção de netos de mães beneficiárias do programa. Já as resoluções 03/2019 e 04/2019, suspendem internações eletivas, tratamentos odontológicos, tais como implantes dentários e de próteses, placa de mordida e placa para bruxismo. Tratamentos especializados também não foram poupados e não poderão ser mais solicitados como hidroterapia, reeducação postural global (RPG) e acupuntura. O fator participativo dos exames passou dos atuais 5% do valor do exame para 20%. Já as consultas no PA e PS subiram de R$ 35 para R$ 50. A 04/2019 suspende o ressarcimento de procedimentos odontológicos. Limita o ressarcimento de consultas médicas especializadas a 80% do valor da consulta: até R$ 250,00. De acordo com a coordenadoria do PAS, os cortes e aumentos nas tarifas são necessários para o equilíbrio financeiro da UFMS, pois a execução financeira do programa é totalmente vinculada ao orçamento da universidade. Segundo nota publicada no  site  do PAS, as/os gestores da universidade estariam tentando recursos junto ao Ministério da Educação (MEC) para subsidiar o Programa.

  Assessoria de Imprensa da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional  

Compartilhe: