ANDES-SN vai pautar greve geral contra Reforma da Previdência

02 dez, 2019 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire






Congresso de Belém aprova indicação de construção de greve geral em reunião das centrais sindicais. Foto: Pedro Guerreiro/ ANDES-SN

O ANDES-SN vai participar da plenária nacional das centrais sindicais contra a Reforma da Previdência. A reunião acontece dia 20 de fevereiro, em São Paulo. Segundo a resolução aprovada durante a Plenária do Tema 2 no 38º Congresso do ANDES-SN, o Sindicato Nacional pautará a necessidade de uma nova greve geral no Brasil.

O Tema 2 debateu Políticas Sociais e o Plano Geral de Lutas. O Sindicato Nacional também construirá, via secretarias regionais, plenárias estaduais como preparação para a plenária das centrais.

Os delegados também aprovaram a participação na construção da Greve Internacional das Mulheres, em 8 de março. O ANDES-SN indicará a paralisação dos docentes neste dia.

“Paralisar e mobilizar no 8 de março é dar uma resposta aos ataques e retrocessos deste governo miliciano e de extrema direita, assim como aos ataques da extrema direita no mundo. É fundamental que as seções sindicais se envolvam e participem ativamente das atividades”, defendeu a 1° secretária do ANDES-SN, Caroline Lima, durante a votação do tema.

A docente lembrou o protagonismo “fantástico” das mulheres nas lutas recentes do país, como os atos do “Ele Não” e os números gritantes de feminicídios no país. Só no primeiro mês de 2019, mais de 100 feminicídios foram registrados no Brasil.

Após extenso debate, os docentes deliberaram que o ANDES-SN deve ampliar a mobilização contra a criminalização do movimento sindical e social. Essa mobilização também abrangerá a luta contra prisões arbitrárias de militantes, em defesa dos perseguidos políticos e pela libertação de todos os presos políticos. O 38º Congresso indicou às suas seções sindicais a participação em comitês pelas liberdades democráticas e pelos direitos sociais, incluindo os que tenham como consigna “Lula Livre” e que explicitem pautas defendidas pelo Sindicato.

Para o presidente do ANDES-SN, Antonio Gonçalves, as deliberações da Plenária apontam para o fortalecimento da unidade da classe trabalhadora. “O Congresso está sendo um momento de debate aprofundado sobre a situação da categoria docente na perspectiva do classismo. Podemos afirmar que é um momento histórico pela sua pauta e tamanho, o que nos anima dentro das possibilidades de construção da unidade”.

O 38º Congresso do ANDES-SN segue até este sábado (02), em Belém. Organizado pelo Sindicato Nacional com o apoio da ADUFPA, o evento é um dos maiores da história do movimento docente das instituições de ensino superior: 599 participantes, sendo 393 delegados (as), 156 observadores(as), 10 convidados(as) e 40 diretores(as).

Fontes: Aduff e Adufpa com edição do ANDES-SN

Compartilhe: