Assembleia Geral de docentes da UFMS em Campo Grande aprova decretação de Estado de Greve

12 maio, 2019 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

Marco Aurélio (d.) e José Roberto Rodrigues de Oliveira, respectivamente presidente e vice da ADUFMS, durante Assembleia Geral em Campo Grande - Foto: Gerson Jara/ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato NacionalMarco Aurélio (d.) e José Roberto Rodrigues de Oliveira, respectivamente presidente e vice da ADUFMS, durante Assembleia Geral em Campo Grande – Foto: Gerson Jara/ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

⇛REUNIDAS/OS EM ASSEMBLEIA GERAL na quinta-feira 5 de dezembro, docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Cidade Universitária Campo Grande, aprovaram, decretação de Estado de Greve em razão de o governo federal não sinalizar com nenhuma possibilidade de reajuste geral e adotar medidas administrativas que retiram direitos da categoria.

A decisão segue orientação do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN), com base em deliberação do Conselho Nacional da entidade federal (Conad).  Antes da votação, o presidente da ADUFMS Seção Sindical ANDES-SN, professor Marco Aurélio Stefanes, explicou que “o Estado de Greve se diferencia do indicativo de greve e da deflagração da greve em si. É compreendido como uma situação aprovada pelas/os professoras/es para alertar o governo sobre a possibilidade de deflagração de uma greve. Assim, figura como momento de reflexão, debate e mobilização em torno de um processo que pode ou não culminar em uma greve, compreendida como instrumento legal e legítimo diante de reivindicações”. 

O sindicalista detalhou que a deliberação pressupõe a continuidade das atividades laborais (ensino, pesquisa e extensão). A diferença é que, com as/os docentes organizadas/os sob Estado de Greve, as ações de luta e mobilização passam a ser mais cotidianas e necessitarão ainda mais de participação.

As/os participantes da Assembleia elegeram sete docentes e um suplente para o Congresso do ANDES Nacional. Constituíram comissão para discutir projetos alternativos direcionados à Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, frente à visão política ultraconservadora em efetivação na UFMS. 

Entre as atividades previstas estão a realização de seminário para discutir a democracia interna na escolha de novos/as dirigentes e a formulação de documento que contenha propostas da docência que calibre o modelo do gerencialismo burocratizante, controles excessivos e produtivismo acadêmico visando tão-somente ao Currículo Lattes. A intenção seria alinhavar o caráter libertador, público e gratuito de ensino na universidade, inclusive a formulação de atividades de políticas de inclusão e afirmativas dentro da instituição.  

A Assembleia também aprovou o parecer favorável do Conselho Fiscal em relação às contas da Seção Sindical referentes a 2018 a ser disponibilizadas a todas e todos as/os associadas/os.

Os resultados da Assembleia em campi do interior serão divulgados com a chegada das atas. 

Compartilhe: