Assembleias da ADUFMS aprovam adesão à paralisação nacional em defesa da educação

08 jul, 2019 Adufms

Os/as docentes que participaram das assembleias gerais da

ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

aprovaram por maioria, na terça-feira 6, à adesão ao Dia Nacional de Paralisação (13 de agosto), convocada pelo Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (

ANDES-SN

), Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (

CNTE

) e União Nacional dos Estudantes (

UNE

).

O ato prevê mobilização dos três segmentos da comunidade da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) – estudantes, docentes e técnicas/os administrativas/os – em local a ser definido a partir de assembleia unificada, para protestar contra os cortes de verbas, a reforma da Previdência e o programa Future-se.

Em relação ao indicativo de greve nacional nas universidades, os participantes recomendaram a realização de uma nova assembleia geral, após a mobilização do dia 13 de agosto e a realização de audiência pública, na próxima sexta-feira 9, às 9h30min, no Teatro Glauce Rocha, na UFMS-Campo Grande, para discutir o Future-se.

A assembleia gerais também aprovaram o desconto da mensalidade do mês de abril de 2019 em duas parcelas de 1,5% nos meses de setembro e outubro, como forma de compensar o bloqueio da contribuição direta no holerite por conta da medida provisória 873/2019, editada pelo Governo Federal e acatada prontamente pela administração da UFMS.  A medida foi derrubada liminarmente pela Assessoria Jurídica da

ADUFMS

e depois pelo Congresso Nacional.

Os/as docentes presentes também avaliaram as consequências da adoção do programa Future-se.  Houve críticas à medida, entre elas, o fim da dedicação exclusiva (DE), uma bandeira histórica do magistério superior, a gestão científica e pedagógica, bem como o controle e liberação de recursos por meio de organizações sociais (OS), o fim da contratação de docentes por concurso público e a substituição terceirizada por regime de CLT, violação do preceito constitucional da autonomia universitária e abertura de doação do patrimônio das universidades para entes privados. “As medidas contidas no Future-se são o desmonte da universidade pública e abertura para privatização das instituições federais de ensino (IFES)”, alertou o presidente da

ADUFMS Seção Sindical

, Marco Aurélio Stefanes.

Anexos


Conteúdos discutidos na Assembleia Geral 1



Assembleia Geral 1 – anexo Liminar 1.1 liminar 2


Assembleia Geral 2 – anexo Liminar 1.2 liminar 2



Orientações para assembleia 2 gerais de 06/08/2019



Assembleia Geral 2 – anexo 1 – Nota das instituições federais do ensino superior do Estado do Rio de Janeiro – CEFET- RJ – IFF – IFRJ – UFF – UFRJ – UFRRJ e UniRio


Assembleia Geral 2 – anexo 2 – Nota de repúdio do Conselho Universitário da Universidade Federal do Amazonas (UFAM)


Assembleia Geral 2 – anexo 3 –  Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnologica – IFMS


Assembleia Geral 2 – anexo 4 –   Em nota oficial contra ‘Future-se’ de Bolsonaro, UFG se recusa a abrir mão de autonomia


Assembleia Geral 2 – anexo 4.1 –  Em nota oficial contra ‘Future-se’ de Bolsonaro, UFG se recusa a abrir mão de autonomia


Assembleia Geral 2 – anexo  5 – Análise preliminar do FUTURA-SE, por Roberto Leher (UFRJ)


Assembleia Geral 2 – anexo 6  Parecer jurídico preliminar: Programa Institutos e Universidades Empreendedoras e Inovadoras (FUTURA-SE) e suas implicações nas IFES


Assembleia Geral 2 – anexo 7 –  Carta aberta a comunidade presente na SBPC de 2019 em Campo Grande – MS


Assembleia Geral 2 – anexo 8 –  Circular Andes  301/2019



Assessoria de Imprensa da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

Compartilhe: