Comando de Greve cobra definição sobre novo calendário

10 ago, 2015 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire



Jpeg



Comando de Greve apresenta sugestões para aperfeiçoar o calendário acadêmico pós-greve

– Foto: Gerson Jara/ADUFMS-Sindicato

Integrantes do Comando de Greve da ADUFMS-Sindicato reivindicaram o início do segundo semestre somente após a conclusão do primeiro. Na reunião nesta quinta-feira 8 com o pró-reitor de Ensino de Graduação em exercício, Irineu Sotoma, a direção sindical repassou o ofício contendo as recomendações discutidas na assembleia da categoria, no sentido de garantir a qualidade de ensino e evitar a sobrecarga dos/as docentes e estudantes.

A principal recomendação apontada pelo professor Marco Aurélio Stefanes é de evitar a sobreposição de disciplinas. O docente adiantou a impossibilidade de início do calendário do segundo semestre no próximo dia 13 de outubro, sem devido fechamento do primeiro semestre.

Irineu Sotoma esclareceu que estava apenas aguardando uma posição oficial do Comando Local de Greve para avaliar com a reitoria a possibilidade de revisão da data. A decisão ficou de ser combinada em outra reunião com o Comando Local que deverá acontecer nesta sexta-feira 9 de outubro.

Na reunião desta quinta, o Comando reafirmou a importância de garantir reposição dos 28 dias letivos faltantes referentes ao período de greve e demais atividades decorrentes do encerramento do semestre antes de se iniciar o próximo, considerando o fechamento do Sistema Acadêmico Online (Siscad).

Pediram também a manutenção do pré-requisito, a efetivação do período de ajuste na lista de ofertas de disciplinas e não-concomitância de disciplinas do primeiro semestre e de disciplinas de inverno com o segundo semestre letivo; a definição de novo período especial para atender as necessidades dos/as alunos/as formandos/as e coincidência da entrada de inverno com calendário único para o segundo semestre.

Os professores Antônio Carlos do Nascimento Osório e Moacir Lacerda apontaram problemas com procedimentos de matrículas no  Siscad, o reoferecimento de matrículas em disciplinas em andamento no primeiro semestre; notas de alunos/as entregues zeradas nos diários, quebra de pré-requisitos e duplicidade de horários, agravada com a falta de aula e de professores/as.

O pró-reitor solicitou que os problemas encontrados sejam notificados por ofícios à Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (Preg) para que sejam avaliados e dirimidos.



Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Compartilhe: