Desprezando bandeira vermelha UFMS promove entrega presencial de “KIT CALOURO” e recomenda visita guiada ao campus

12 mar, 2021 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

De acordo com email encaminhado aos docentes pela administração da UFMS com o assunto “Orientações para a recepção de calouros 2021”, no dia 15, próxima segunda-feira, durante os períodos em que acontecem a abertura de aulas em cada unidade deverá ser realizada a entrega presencial do “KIT CALOURO”. “A sugestão é que o grupo de trabalho seja dividido em mesas separadas, com a lista de calouros de cada curso para a entrega do kit. (…) Também sugerimos uma visita guiada no campus, com um máximo de 10 calouros, acompanhados de dois veteranos”, diz o texto do email. A ação faz parte da recepção institucional anual aos alunos ingressantes da graduação e pós-graduação na instituição.

Com Campo Grande em bandeira vermelha, com ocupação total dos leitos de UTI e medidas extras de restrições sanitárias, o descaso da UFMS com as questões de biossegurança e proteção à vida dos professores e alunos mais uma vez causou a mobilização da comunidade docente. 

Em nota ao comitê de biossegurança da FAENG (Faculdade de Engenharias, Arquitetura e Urbanismo e Geografia), o professor e engenheiro de produção Alexandre Meira de Vasconcelos, representante da FAENG na ADUFMS, pontuou os perigos de promover esse tipo de ação no meio de uma pandemia, especialmente no momento em que estamos: “É uma temeridade com o sistema de saúde colapsado. Não há UTI, nem vacina ou procedimento suficiente para garantir a integridade dos alunos. Muitos precisam de ônibus para deslocamento e ainda que venham de carro, os deslocamentos não são recomendados. O manuseio de objetos é fonte de contaminação e também não é recomendado”, alertou.

O professor sugeriu fazer a acolhida de forma online, lembrando que cada professor e aluno tem filhos, pais, cônjuges, entre outras pessoas de convívio. E ações como essa também colocam em risco os alunos e seus familiares. No apelo ao comitê, Vasconcelos perguntou: “Será que realmente vale a pena passar por isso? As UTIs estão superlotadas. Não sabemos de onde esses alunos vêm e em quais condições. Não é hora de correr riscos. Vamos por a mão na consciência, por favor. Somos da academia e não podemos negar o que a ciência diz.”

Segundo Vasconcelos, a mensagem surtiu efeito. A unidade se sensibilizou, consultou os representantes e decidiu por não realizar a atividade presencial. “O comitê de biossegurança da FAENG, de forma exemplar, emitiu parecer favorável à solicitação, ou seja, não haverá entrega presencial de kits. Serão entregues posteriormente de forma oportuna. Uma vitória da unidade e uma mostra de que a mobilização dos docentes é fundamental”. pontuou.

Mas, de acordo com Marco Aurélio Stefanes, presidente da ADUFMS, ainda há notícias de cursos que de fato estão se mobilizando para fazer a acolhida presencial com a entrega dos kits de boas vindas. “Vemos com muita preocupação esta ação e pedimos aos professores que levassem a questão aos seus colegiados para discussão e providências assim como ocorreu com a comissão de biossegurança da FAENG”, alertou. 

Compartilhe: