Docentes e técnicos se mobilizam em Três Lagoas e solicitam posicionamentos da UFMS em relação a retorno de servidores à atividades presenciais

25 mar, 2021 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

 

No campus de Três Lagoas da UFMS, durante reunião do Conselho de Campus, representantes dos docentes e dos técnicos se mobilizaram para discutir e propor soluções para questões pertinentes aos documentos divulgados pela gestão da UFMS em relação ao retorno das atividades presenciais dos docentes – portaria 1235 e instrução normativa 21.

Durante a reunião virtual realizada no dia 17 de março, o Prof. Thiago Santos, docente na unidade de Geografia/CPTL – Três Lagoas e representante dos docentes indicado pela ADUFMS, juntamente com a técnica administrativa Gleice Nogueira Rodrigues levantaram a pauta sobre a Portaria 1235, especificamente sobre os riscos ligados a uma eventual interpretação equivocada do Art. 29, que diz que  "As atividades administrativas e os serviços nas Unidades da UFMS deverão ser exercidos prioritariamente de forma presencial a fim de preservar e garantir o pleno funcionamento da Universidade." 

De acordo com Santos, considerando que houve no CPTL cobrança de presença física de técnicos e docentes pela direção, mesmo estes últimos estando amparados pelo Decreto Federal 1.867, de 1996, que os dispensa de controle de frequência, tanto docentes como técnicos entenderam que era importante discutir a questão no Conselho de Campus. 

Segundo o professor, para esta discussão, foram propostas a inserção de dois pontos de pauta no Expediente (de onde deve sair resolução, após voto dos conselheiros). “Na reunião, fizemos nossas defesas e conseguimos aprovar ambas as propostas, tendo sido elaboradas as resoluções a elas referentes”. 

A primeira resolução delibera que os regimes de trabalho dos servidores docentes e técnicos administrativos do Câmpus de Três Lagoas serão estabelecidos de acordo com o Plano de Biossegurança e o desenvolvimento da Pandemia de Covid-19 em Três Lagoas". De acordo com o professor: “Ainda que isso já estivesse previsto na própria Portaria 1235, achamos importante registrar o posicionamento no Conselho de Campus para nos resguardar de eventuais novas pressões para retorno presencial, como tivemos anteriormente”.  

Ele ressalta que para reivindicar essa resolução utilizaram como base o Despacho (comunicado) da Comissão Local de Biossegurança que estabelece: "Diante do exposto e considerando que o Art. 29 da Portaria nº1.235 de 19 de fevereiro de 2021, da Reitoria da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, diz que o retorno das atividades nas unidades da UFMS deverão ser prioritariamente de forma presencial, entende-se que a presença dos servidores nas dependências do Câmpus de Três Lagoas não é obrigatória ou compulsória. Neste sentido, esta Comissão compreende que o retorno presencial de todos os servidores do CPTL ao mesmo tempo, implicará no aumento do risco de contágio por Covid-19 dentro do local de trabalho".

Para Santos, a principal relevância das discussões e deliberações da reunião do Conselho de Campus foi a de registrar um posicionamento dos conselheiros e conselheiras do CPTL, reconhecendo a gravidade do quadro sanitário em que estamos. É necessário chamar a atenção para a necessidade da administração da UFMS, seja a reitoria ou a direção dos campus, para que não tomem decisões que coloquem em risco a saúde e a vida dos servidores e servidoras da instituição. Nesse sentido, estamos fazendo nossa parte.”, adverte. 

Compartilhe: