Entidades da UFMS organizam atividades de paralisação e reitor se arreda para não conversar com participantes

10 jul, 2019 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire






Passeata seguiu pela avenida Senador Filinto Müller até Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (Famez), na tentativa de dialogar com reitor Turine – Fotos: Gerson Jara/ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional


⇒DIVERSAS ATIVIDADES

marcaram os dois dias de paralisação em defesa da universidade pública e contra o Future-se, organizadas conjuntamente pela

ADUFMS


Seção


Sindical ANDES Sindicato

Nacional, Sindicato  dos Trabalhadores em Educação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e dos Institutos Federais de Ensino, no Estado de Mato Grosso do Sul (

Sista-MS

), Diretório Central das e dos Estudantes (

DCE

) e o

Comitê Eu Defendo a UFMS

.

No primeiro dia de atividade, no

hall

do Complexo Multiúso 1, Cidade Universitária Campo Grande, aconteceu o júri simulado que julgou o Future-se presidido pela estudante Agnes Viana, do

Centro Acadêmico de Pedagogia Fabiany Silva – UFMS

.  Os professores Rogério Maya, do curso de Direito, fez a Defesa do Future-se e  a professora Mariúza Aparecida Camillo Guimarães, cumpriu o papel de acusação.  Depois das exposições, houve a participação popular com todas as manifestações contrárias a proposta esboçada pelo governo.  O júri simulado proferiu sentença final condenando o programa por seis votos a um.






Passeata reuniu mais de 300 estudantes que reafirmaram inconformismo contra o Future-se

No mesmo dia, mais duas atividades aconteceram no período vespertino. Às 14h, na Escola de Administração e Negócios (Esan) houve a  primeira roda de conversa: Future-se com a participação da professora Mariúza Guimarães. A segunda roda de conversa; Future-se aconteceu às 15h30, na Concha Acústica, com a participação da prof. Maria Dilnéia.

No segundo dia de atividade,  a comunidade universitária se concentrou em frente a Biblioteca da UFMS. Dirigentes da

ADUFMS Seção


Sindical

,

Sista-MS

, do

Comitê Eu Defendo a UFMS

e do

DCE

se pronunciaram contra o corte de verbas nas universidades que atingiu diretamente os programas de pesquisas, iniciação científica e a bolsa permanência. Mariuza Aparecida criticou a atitude desrespeitosa do ministro da Eduçação, Abraham Weintraub, que chamou os docentes das universidades de



Zebra Gorda



e que deveriam ser atacados pelos “altos salários”. Denunciou que a intenção do Governo Bolsonaro é de desmontar a universidade pública para depois entregar a iniciativa privada.






Estudantes de Fisioterapia prestam contas do atendimento feito pelo curso à comunidade.

A coordenadora do

Sista-MS

, Cleodete Candida Gomes, fez duras críticas à gestão das Organizações Sociais (OS). Destacou como exemplo a Empresa Brasileira de Gestão Hospital (Ebserh) que se transformou num cabide emprego, com altos salários, perda da função de ensino e pesquisa e de falta de transparência orçamentária.

Em seguida, estudantes, docentes e técnicos fizeram arrastão nos corredores da UFMS, passando pelos blocos do Instituto de Química  (Inqui) e ESAM e seguiram para o Hospital Veterinário (HV). No local o reitor, Marcelo Turine, fazia palestra em defesa do Future-se. Ao sair se deparou com a passeata no portão do HV,  arrancou com o veículo e não quis dialogar com os representantes das entidades. Em seguida houve um almoço na sede da

ADUFMS

para alunos/as dos Câmpus de Aquidauana (CPAQ) e de Nova Andradina (CPNA) que vieram fortalecer a mobilização em Campo Grande.

O período vespertino, às 14h, no Multiúso I, aconteceu a Aula pública: a que interessa o desmonte da educação pública?, com a participação da professora Maria Aparecida Lima.

As atividades de greve organizadas pela

ADUFMS


Seção


Sindical

também aconteceram no interior. Em Aquidauana ocorreu debate preparatório sobre o Future-se. Em Três Lagoas, estudantes e docentes se concentram em frente ao Campus II onde houve pintura de faixas e cartazes e pronunciamentos contra o Future-se e cortes de verbas nas universidades. Em Corumbá palestra sobre  Future-se e ato conjunto com Sindicato dos Professores de Corumbá. Em Naviraí e Coxim também foram feitos debates sobre o Programa.



Assessoria de




Imprensa da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

Compartilhe: