Greve na UFMS: docentes analisam movimento nesta quarta-feira 5

08 maio, 2015 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire


Banner Assembleia Geral


Docentes de todos os

campi

da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) avaliam nesta quarta-feira 5 o movimento paredista na Instituição, iniciado dia 15 de junho. No

Campus

de Campo Grande, os informes, as discussões e os encaminhamentos relacionados às contrapropostas, que, caso sejam aprovadas, serão levadas ao Comando Nacional de Greve (CNG) em Brasília, acontecem a partir das 14 horas no Anfiteatro do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS). Para as professoras e os professores do interior, a Assembleia, no mesmo dia e horário de Campo Grande, será em locais escolhidos pela representação de cada

Campus

.

De acordo com o

Comunicado Especial 2 do CNG

, “nesta semana foi protocolada uma solicitação de audiência com o governo, considerando que o prazo de 10 dias estipulado pelo MPOG [Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão] para convocar nova reunião não foi cumprido”.

Além do MPOG, há reivindicações direcionadas ao Ministério da Educação (MEC). Embora o ministro Renato Janine Ribeiro (Educação) use a imprensa para dizer que “estamos abertos à discussão, à negociação”, até agora suas palavras estão trancafiadas em uma “caixa” de intenções. Nada de concreto! Nada de convocação oficial para discutir, diretamente com o ministro, a pauta que envolve, entre outros assuntos, a difícil situação em que se encontra a universidade pública federal brasileira com os cortes formalizados pelo Palácio do Planalto.     “Até o momento [Janine] não compareceu a nenhuma reunião. Os docentes federais exigem uma resposta do ministro diante das reivindicações apresentadas!”, enfatiza o CNG.

Na próxima quinta-feira 6, acontecerá em Brasília outra Marcha dos SPFs (servidores públicos federais) no intuito de fortalecer os movimentos reivindicatórios. “É fundamental que tenhamos uma forte mobilização de todas as categorias dos SPFs para pressionar o governo a retomar as negociações com o Fórum dos SPFs e apresentar uma contraproposta que atenda à pauta da Campanha Salarial Unificada de 2015”, explicam integrantes do CNG.

Nos estados haverá, nesta quinta 6, manifestações de estudantes, docentes e técnicos administrativos, cobrando das reitorias das universidades federais a divulgação dos dados orçamentais dessas instituições, que estão sendo atingidas pelos cortes do governo federal. Na UFMS será realizado, nesta quinta 6, às 9h30min, ato público em frente à Reitoria pedindo que a administração abra as contas da Universidade.



Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Compartilhe: