Licenciatura do Campo na UFMS resiste, forma a primeira turma e ganha nota 4 em avaliação do MEC

04 maio, 2019 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire







Comemoração à formatura da primeira turma do curso Leducampo, no salão da

ADUFMS-Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional


– Foto: Ernesto Franco







PM foi chamada para tentar desmobilizar ato em defesa dos cursos Leducampo e Licenciatura Indígena

– Foto: ARQUIVO

Depois da iminência de ser extinto pela proposta de enxugamento da atual gestão da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o curso de graduação Licenciatura em Educação do Campo (Leducampo) obteve nota 4 na avaliação do Ministério da Educação (MEC), em 2018.

A

ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

, por meio da sua direção e dos representantes nos conselhos Diretor (CD) e Universitário (Coun), atuou no sentido de garantir a oferta de vagas na Leducampo e  na Licenciatura Indígena em Aquidauana.

A proposta de suspensão de vagas do curso da Leducampo  e Licenciatura Indígena em 2018 foi enfrentada com a força de mobilização. Entidades ligadas às/aos [email protected] da educação, estudantes, Central Única dos Trabalhadores (

CUT

) e Movimento [email protected] [email protected] Rurais  Sem Terra (

MST

)organizaram ato em frente à reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). O  portão de acesso ao prédio foi fechado.  Houve pressão da Polícia Militar para liberar o acesso.  A corporação só não reprimiu o ato de forma violenta devido à postura firme e decisiva da professora Mariuza Aparecida Camillo Guimarães, presidenta da

ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

, que solicitou aos policiais que se retirassem da Cidade Universitária Campo Grande.

Após mais de quatro horas de manifestação, uma equipe composta por docentes, estudantes e a direção da Faculdade de Educação (Faed) foi recebida pelo reitor. Na conversa Marcelo Augusto Santos Turine garantiu a oferta dos dois cursos em 2019, mas com turma reduzida e redistribuída a oferta de vagas em outros

campi

.

Turine alegou o valor custo-aluno para defender que o curso fosse oferecido na modalidade a distância. Todavia, os gastos com turmas mais amplas já estavam previstos na matriz orçamentária do MEC, apresentados pela coordenação em 2017.

Para comemorar a resistência frente às medidas de enxugamento, a

ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

cedeu o espaço do salão de eventos para o almoço de formatura da primeira turma da Leducampo. A atividade foi organizada pelo primeiro-secretário da

ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

, José Roberto Rodrigues de Oliveira, fundador e ex-coordenador da Licenciatura em Educação do Campo. O docente teve a paciência histórica de explicar à reitoria as demandas, especificidades e necessidades diferenciadas da habilitação que funciona em regime de alternância pedagógica. Os/as alunos/as conciliam formação acadêmica com atividades corriqueiras nos assentamentos e pequenas propriedades, de forma alternada. Muitas vezes o currículo e o funcionamento do curso destoa da rotina dos cursos de graduação  presencial.



Assessoria de Imprensa da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

Compartilhe: