MOVIMENTO FORTE! TODAS E TODOS NAS ASSEMBLEIAS DESTA QUARTA 15!

01 jan, 1970 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire



ARNOR RIBEIRO.DSC00576


Reunião desta terça-feira com docentes do CCHS, Campo Grande (foto: Arnor Ribeiro – ADUFMS)

A diretoria da

ADUFMS

fez um chamamento para que todas as professoras e todos os professores da UFMS, filiadas/os e não-filiadas/os, compareçam às assembleias gerais extraordinária e ordinária que acontecem nesta quarta-feira pela manhã em todos os

campi

da Universidade. Nessas reuniões serão discutidas e deliberadas, entre outros pontos, as propostas de carreira e de reajuste de salários encaminhadas pelo Andes e pelo Proifes ao governo federal.

O convite foi reforçado na tarde desta terça-feira 14, no Anfiteatro do Centro de Ciência Humanas e Sociais (CCHS) da Federal de Mato Grosso do Sul em Campo Grande, durante mais uma das reuniões setorizadas que o Sindicato vem realizando com a docência da Federal de Mato Grosso do Sul para expor as distorções salariais a que a categoria vem sendo submetida, principalmente a partir da desestruturação da carreira do Magistério Superior nas instituições federais de ensino superior (Ifes), intensificada nos anos de 1996, 2006 e 2012.

Diante da degradação da carreira docente nas Ifes – sobrecarga de trabalho e defasagem salarial –, a vice-presidenta da

ADUFMS

, professora Mariuza Aparecida Camillo Guimarães, argumentou às docentes e aos docentes sobre a necessidade de a categoria se mobilizar em função da perspectiva de mais arrocho dos salários e de retirada de direitos funcionais. A sindicalista alertou que a tendência é de que os vencimentos docentes fiquem cada vez mais defasados, “se não fizermos um movimento forte”.

O diretor-financeiro da

ADUFMS

, professor Marco Aurélio Stefanes, fez um histórico dos cortes que a União vem fazendo na folha de pagamento dos servidores/as públicos/as federais em relação ao Produto Interno Bruto (PIB). Em 2002 o gasto primário com os salários do funcionalismo federal era de 4,8%. Em 2014, caiu para 4,3%. E o governo federal quer diminuir ainda mais os recursos destinados a pagamento de pessoal.  A meta é decrescer a 4%.

De acordo com Stefanes, o resultado disso será uma sobrecarga ainda maior nas atividades dos/das docentes da UFMS e das demais universidades federais. Inversamente, a previsão é de que os salários e a carreira vão se depreciando cada vez mais.

Além de Mariuza Aparecida Camillo e de Marco Aurélio Stefanes, o presidente ADUFMS, professor José Carlos da Silva também esteve na reunião desta terça-feira no CCHS conversando com os/as docentes sobre as assembleias desta quarta 15.



Mais detalhes sobre a mobilização docente na UFMS, clique nos títulos abaixo


CAMPANHA SALARIAL 2015-2016 – docentes participaram de reuniões setoriais pré-assembleias


Docentes da UFMS debatem, em assembleias nesta quarta-feira 15, salários e carreira



Assessoria de Imprensa da ADUFMS

Compartilhe: