Nota de repúdio a decreto antidemocrático de Azambuja

01 jan, 1970 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire





Nós trabalhadoras e trabalhadores reunidos na 15ª Plenária Nacional da CUT/Congresso Extraordinário e Exclusivo vimos por meio desta manifestar o nosso veemente repúdio à atitude antidemocrática feita pelo Governador do Estado de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), que emitiu

decreto na manhã do dia 28 de agosto

, proibindo manifestações no Parque dos Poderes, sede dos três poderes no Estado.

Este é um flagrante ataque à democracia, aos direitos civis, uma prática antissindical que beira à ditadura e que ainda por cima vem a estabelecer multas altíssimas, visando coibir a livre manifestação das pessoas e seu direito de ir e vir.

Nós sabemos o porquê disso. Há bem pouco tempo o senhor Reinaldo Azambuja foi envolvido em escândalo nacional, a delação premiada de Joesley Batista, um dos proprietários da JBS, que alega que tucano recebeu 47 milhões de reais em propina.

O Governo do Estado de Mato Grosso Sul ainda não confirmou se vai pagar o décimo terceiro salário deste ano, para os servidores públicos estaduais e ofereceu também neste ano, 2,94% de reajuste, um dos piores do país.

O decreto em questão cita que esta medida arbitrária tem a ver com a preocupação do governo do PSDB com o meio ambiente. Ao mesmo tempo que os tucanos apoiam o aumento da exploração e mineração na Amazônia!

O Parque dos Poderes é um patrimônio histórico e cultural, palco de manifestações históricas do povo sul-mato-grossense.

Não aceitamos e repudiamos fortemente esse decreto.

Congresso Extraordinário e Exclusivo da Central Única dos Trabalhadores!

A delegação da CUT de Mato Grosso do Sul acaba de inscrever esta moção de repúdio na coordenação do evento.

Compartilhe: