Nota pública de indignação ao desrespeito às consultas eleitorais da UFMS

06 maio, 2017 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire



as-mascaras



Democracia na UFMS! Sem mascaras!

(ilustração: <http://www.fashionbubbles.com)

A Diretoria da ADUFMS-Sindicato vem a público manifestar indignação quanto ao desrespeito por parte do reitor Marcelo Augusto Santos Turine em relação às consultas eleitorais para direção das unidades setoriais realizadas na UFMS.

Queremos inicialmente parabenizar todos os diretores e todas as diretoras eleitos/as em seus respectivos pleitos. Queremos também parabenizar um colega de uma das unidades da UFMS (resguardamos o sigilo a seu pedido), pelo fato de, mesmo sendo indicado pelo reitor à nomeação, não ter aceitado o cargo por não ter sido o mais votado. Tal atitude merece destaque.

Prestamos apoio incondicional aos resultados das consultas eleitorais realizadas no Câmpus de Coxim e na Faculdade de Educação. Por extensão, prestamos solidariedade e apoio à professora Eliene Dias de Oliveira e ao professor Antônio Carlos do Nascimento Osório vencedores dos respectivos pleitos.

Lembramos que a cerimônia de posse do reitor, com consideráveis custos ao erário, veio com toda a pompa e com presença de autoridades na busca do reconhecimento público da importância do cargo. Já a posse de vários diretores tem sido feita a portas fechadas, sem agenda pública, deixando transparecer que esse é um ato menor no sentido político e acadêmico. Não podemos aceitar que os cargos eletivos dentro de nossa instituição se tornem meros cargos de confiança.

Há hoje clamor forte na comunidade universitária por mais democracia, mais transparência e mais participação. Nossa frágil democracia pede socorro! Não é admissível permitir o avanço do arbítrio e aceitar que os acordos de gabinetes se sobrepujem os processos democráticos realizados pela comunidade.

Historicamente, o movimento docente sempre lutou pela autonomia universitária e contra as ingerências externas. No entanto a autonomia sem democracia caminha para a tirania do pensamento único e para atitudes autocráticas. A universidade é, por excelência, o avesso desse pensamento, pois é a pluralidade de ideias e a sua diversidade de ações que fazem o conhecimento florescer.

Por fim, exigimos que o reitor Turine respeite o Estatuto da UFMS, preze as decisões colegiadas, cumpra com seus compromissos de campanha e respeite as decisões da comunidade universitária.

Saudações universitárias!

 

Campo Grande, MS, 5 de junho de 2017

Compartilhe: