UFMS oferece Licenciatura em Educação do Campo

11 dez, 2013 Adufms

Com caráter diferenciado e voltada para interessados em lecionar em escolas do campo, nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, a Licenciatura em Educação do Campo visa formar profissionais competentes e comprometidos, que respeitem as diferenças e as singularidades do campo em seus aspectos sociais, culturais, ambientais, políticos, econômicos e produtivos, de gênero, de raça e etnia.

Ao todo serão 150 vagas sendo 70 para Linguagens e Códigos, 40 para Ciências Humanas e Sociais e 40 para Matemática. As inscrições podem ser feitas de 18 de novembro até 05 de dezembro de 2013 e a taxa será de R$ 35. A prova será realizada no dia 26 de janeiro de 2014 nas cidades de Aquidauana, Campo Grande, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Nova Andradina, Ponta Porã, Rio Brilhante e Três Lagoas.

A licenciatura será composta por oito semestres, na modalidade presencial, em Regime de Alternância entre Tempo-Universidade e Tempo-Comunidade, atendendo o que dispõem: a Resolução CNE/CEB n° 1, de 3/4/2002 que estabelece as Diretrizes Operacionais para Educação Básica nas Escolas do Campo; o Programa de Apoio à Formação Superior em Licenciatura em Educação do Campo PROCAMPO (2009);  e o Programa Nacional de Educação do Campo PRONACAMPO (2013). O Regime de Alternância prevê períodos de aulas e práticas na Cidade Universitária em Campo Grande, intercalados com períodos de estudos, pesquisas e práticas nas comunidades locais onde vivem os alunos e/ou onde já atuam profissionalmente.

De acordo com a professora Mirian Lange Noal a ideia é manter educação urbana e rural se comunicando em via de mão dupla, sem negar que há questões específicas do campo que precisam ser pensadas: “O que acontece no campo afeta a cidade e o que acontece na cidade afeta o campo, por isso é importante que as práticas e os ensinamentos escolares se complementem para que os princípios básicos de manutenção da vida, como a agricultura familiar e a agroecologia, sejam defendidos e fortalecidos”, elucida.

Além das disciplinas comuns a outras licenciaturas o curso traz como diferencial, na matriz curricular, conteúdos específicos sobre Educação do Campo, os saberes do campo e a mística do campo, uma forma de expressão cultural importante para a população rural. “São rituais que têm acompanhado, historicamente, a luta pela terra e que celebram a vida, os elementos da natureza e os alimentos que são o resultado do encontro harmonioso entre a natureza e o trabalho humano, via a prática da agricultura familiar. São momentos de agradecimento e de fortalecimento para a luta e para os enfrentamentos cotidianos”, explica Mirian. Pretende-se que essa proposta fortaleça as experiências já consolidadas, aproxime seus protagonistas e contribua para a construção coletiva de políticas públicas comprometidas com a Educação Básica do Campo em Mato Grosso do Sul.

O edital com todas as informações sobre a licenciatura pode ser acessado no site da Copeve, no link

Vestibular Pronacampo

.

Compartilhe: