Universidades federais suspendem calendários acadêmicos e mantêm bolsa para estudantes carentes

04 set, 2020 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

Imagem reproduzida da UFOP

⇶EM MARÇO pelo menos 58 universidades federais decidiram suspender o calendário acadêmico em todas as suas ações não-essenciais, durante a crise de pandemia do novo coronavírus, causador da doença covid-19. Mesmo sem atividades obrigatórias presenciais ou a distância (remotas) de ensino, pesquisa e extensão, essas instituições mantêm assistência às/aos alunas/os mais carentes, que formam novo perfil acadêmico nas universidades públicas federais.

Em Mato Grosso do Sul, a UFMS usa o discurso  de que suspender o calendário acadêmico inviabilizaria as bolsas para a(o)s aluna(o)s beneficiada(o)s, ao contrário do que é demonstrado em levantamento feito pela reportagem da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional neste início de abril.

Em seu manual, durante a suspensão das aulas presenciais, a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul aponta que "a realização das atividades acadêmicas na UFMS permite a manutenção dos auxílios, de acordo com a disponibilidade financeira do MEC [Ministério da Educação], incluindo o auxílio de alimentação (emergencial)”

A Universidade de Brasília (UnB) é uma das que mantiveram e ampliaram suas ações de permanência estudantil mesmo sem calendário acadêmico. Com Restaurante Universitário (RU) fechado para evitar aglomerações, a UnB garantiu 2.500 bolsas-alimentação no valor de R$ 465 cada, enquanto o calendário acadêmico estiver suspensoA UnB ainda deliberou pela duplicação do número de bolsas emergenciais para situações de vulnerabilidade extrema e ainda auxiliar estudantes oriunda(o)s de outras cidades que desejem voltar para junto de suas famílias.  

A Câmara de Assuntos Estudantis enviou nota para o Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace) solicitando mais recursos para universidades federais durante a crise sanitária e econômica. 

A Universidade Federal do Amazonas (UFAM) aumentou o auxílio moradia de R$ 300,00 para R$ 600,00. As bolsas de auxílio-residência subiram de R$ 440,00 para R$ 640,00 mensais para despesas com alimentação.

Entre os auxílios que as universidades estão oportunizando às/aos estudantes carentes durante a crise estão os seguintes:

  • Bolsa-Alimentação
  • Bolsa-Transporte (para o retorno às cidades de residência de suas famílias)
  • Bolsa-Acessibilidade
  • Bolsa-Creche
  • Bolsas-Ações Afirmativas 
  • Marmitas
  • Auxílio-Inclusão Digital
  • Auxílio-óculos 

Veja as universidades que mantiveram auxílios a aluna(s) mesmo com calendário acadêmico suspenso


Assessoria de Imprensa da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

Compartilhe: