8 de março é data de luta e tem origem sindical

08 mar, 2022 Diversidade

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

8 de março é celebrado como uma data de luta pelos direitos das mulheres. Você realmente conhece essa história?

A institucionalização do dia 8 de março como uma data para celebrar a luta das mulheres foi proposta pela jornalista e militante alemã Clara Zetkin, durante a Conferência de Mulheres Socialistas de 1910, em Copenhague, capital da Dinamarca. Na ocasião, movimentos sindicais reivindicavam direito à licença-maternidade, voto feminino e outras pautas de cunho feminista. Originalmente, o nome era “Dia da Mulher Proletária”.

A partir dali, o movimento operário internacional passou a organizar anualmente mobilizações durante o 8 de março. Em 1917, durante a data, houve uma paralisação das tecelãs russas por melhores condições de trabalho. A luta das mulheres foi o início da revolta popular que culminou na Revolução de Março, que derrubou o sanguinário czar Nicolau II.

A data sempre esteve ligada à luta sindical. Nos Estados Unidos, a partir de 1909, as celebrações à luta feminina eram feitas durante o último domingo de fevereiro, antes de se estabelecer o 8 de março como data internacional. A União Soviética, primeiro país do mundo a garantir direitos reprodutivos às mulheres, foi também a primeira nação a celebrar o Dia Internacional da Mulher oficialmente.

A Adufms celebra a luta das mulheres e relembra algumas daquelas que representam a resistência desta data. Por isso, escolhemos quatro mulheres para o cartão comemorativo do 8 de março: Dorcelina Folador, militante do MST e primeira mulher a ser prefeita de Mundo Novo, assassinada em represália à sua luta; Alanis Matheusa, primeira mulher transgênero negra a ser advogada em Mato Grosso do Sul; Marielle Franco, vereadora carioca cuja vida foi interrompida por aqueles que se viam intimidados por sua atuação combativa; e Dorothy Stang, freira católica que atuava na defesa da floresta amazônica e dos povos indígenas, morta por pessoas ligadas a elites agrárias.

Desejamos que esta luta não seja em vão – e que o Dia Internacional da Mulher seja uma data de reflexão e resistência!

REFERÊNCIAS:

Dia Internacional da Mulher: a origem operária do 8 de Março. BBC News Brasil, 7 de março de 2019.

GONZÁLES, Ana Isabel Álvarez. As origens e a comemoração do Dia Internacional das Mulheres. São Paulo: Expressão Popular/Sempreviva Organização Feminista, 2010.

 

 

Compartilhe: