Nota de pesar pela morte de Lisete Arelaro

14 mar, 2022 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

A Adufms lamenta profundamente a morte da professora Dra. Lisete Regina Gomes Arelaro, que faleceu no último sábado, dia 12 de março. Pedagoga e doutora em Educação, Lisete dirigiu a Faculdade de Educação da USP e foi uma figura importante na luta pela democratização do ensino no Brasil. Ela tinha 76 anos e enfrentava um câncer. 

Dentre suas inúmeras contribuições, integrou a equipe de Paulo Freire na Secretaria de Educação de São Paulo, durante a gestão de Luíza Erundina como prefeita (1989 a 1992). Também foi titular da pasta em Diadema, em duas oportunidades: entre 1993 a 1996 e de 2001 a 2002, ambas durante mandatos de José Filippi Júnior.

A professora Dra. Maria Dilneia Espíndola Fernandes, de quem Lisete foi supervisora de estágio pós-doutoral na USP – e com quem ela atuou em pesquisas sobre financiamento da Educação –, destaca que falar sobre seu legado “é lembrar também da pedagogia de Paulo Freire, da emancipação humana, mas sobretudo lembrar da generosidade da professora Lisete”.

Militante do PT desde a fundação do partido, Lisete Arelaro deixou a legenda em 2003, filiando-se 10 anos mais tarde ao Psol, pelo qual disputou eleições para o governo de São Paulo em 2018. Única mulher no pleito daquele ano, teve como prioridade máxima de sua campanha os investimentos e projetos para a educação. 

Dilneia relembra ainda a atuação destacada de Lisete em prol de um ensino mais humanizado, democrático e popular. “Incansável lutadora na defesa da escola e da universidade públicas, laicas, democráticas e socialmente referenciadas”, afirma. “A professora Lisete, enquanto pesquisadora, trabalhou com grandes temas da educação nacional. Desde o legado de Paulo Freire, no campo da pedagogia, quanto temáticas importantes como o financiamento da educação básica no Brasil”.

A professora destaca ainda que Lisete também trabalhou junto aos setores mais oprimidos da sociedade e lutou politicamente por justiça social. “Também educou nas ruas e teve uma vivência político-partidária em defesa da sociedade brasileira, com pluralidade, igualdade e condições de vida digna para toda a população”.

A Adufms se solidariza com familiares, amigos/as, companheiros/as de militância e colegas, além de desejar força para enfrentarem o momento de luto. Lisete Arelaro, presente!

Compartilhe: