Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

Sem categoria

DOCENTES DA UFMS PARALISAM NESTA SEXTA E FAZEM ATO DE MOBILIZAÇÃO

images1mãosDocentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) reforçam a paralisação desta sexta-feira 29 fazendo ato de mobilização a partir das oito horas, com sistema de som móvel para que todos e todas manifestem suas opiniões, suas ideias. No Campus de Campo Grande, os/as professores/as se concentram próximo ao Diretório Central das e dos Estudantes (DCE). Alunos, alunas e técnicos/as administrativos/as devem participar da manifestação.

Nesta quinta-feira 28, sindicalistas da ADUFMS percorreram corredores, salas de aula e outras unidades da Federal de Mato Grosso do Sul, dialogando com docentes, estudantes, funcionários/as técnico-administrativos/as e distribuindo informativo sobre o movimento que reivindica ampliação de recursos à assistência estudantil (aumento das bolsas e condições adequadas à permanência de acadêmicos/as na Instituição), repudia as medidas provisórias 664 e 665, que atacam direitos de trabalhadores/as, é contra terceirização e combate medidas unilaterais da Reitoria, as abomináveis “canetadas” ad referendum, que estão aniquilando a participação da comunidade universitária em órgãos colegiados. A pauta específica (reajuste de salário e reestruturação da carreia do Magistério Superior Federal) se insere nesse rol de reivindicações.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS

Postado em Sem categoria

ELEIÇÕES PARA O CONSELHO FISCAL DA ADUFMS: COMISSÃO DIVULGA RESULTADO OFICIAL

ILUSTRAÇÃO ELEIÇÕES CONSELHO FISCAL ADUFMS
Ilustração: Canal Kids.

A Comissão Eleitoral Geral comunica oficialmente o resultado das eleições para o Conselho Fiscal da ADUFMS, mandato 2015-2017, ocorridas neste mês.

PROFESSORES ELEITOS

Membros titulares

1º – Edvaldo Correa Sotana: 24 votos

2º – Alessandro Gustavo Souza Arruda: 22 votos

3º – Paulo Cesar Duarte Paes: 18 votos

 Membros suplentes

4º – Luiz Carlos Batista: 14 votos

5º – Ricardo Pereira de Melo: 8 votos

Total de votantes: 94

Total de votos em branco: 6

Total de votos nulos: 2

 Todo o material referente ao pleito eleitoral (cédulas, atas de apuração, folhas de ocorrência, entre outros), está disponível na sede da ADUFMS, localizada em Campo Grande para, caso necessário, possa ser consultado por qualquer candidato.

Informações referentes à posse serão brevemente divulgadas na página da ADUFMS, e os eleitos serão comunicados por e-mail/telefone.

 

Comissão Eleitoral Geral da ADUFMS-Sindical

Professor Fábio Henrique Viduani Martinez – presidente

Professora Maria Helena da Silva Andrade

Professor José Batista de Sales

Postado em Sem categoria

DOCENTES DA UFMS APROVAM ESTADO DE GREVE E PARALISAÇÃO NA SEXTA-FEIRA 29

POSTADA.DSCN0075
Professores e professoras também aprovaram indicativo de greve para 15 de junho. Fotos: Gerson Jara/ADUFMS

Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) estão em estado de greve/assembleia permanente e paralisam na próxima sexta-feira 29. Essas decisões foram tomadas em Assembleia Geral Extraordinária realizada pela ADUFMS na manhã desta terça-feira 26. Os professores e as professoras também aprovaram indicativo de greve para 15 de junho.

Nas reuniões que as representações nacionais têm mantido com o governo federal, não houve avanços nas negociações das propostas apresentadas pelo magistério das instituições federais de ensino superior (Ifes). “De resposta concreta, não houve nenhuma”, explicou o diretor-financeiro da ADUFMS, professor Marco Aurélio Stefanes.

A próxima assembleia acontece no próximo 10 de junho, quando a docência da UFMS vai avaliar outros posicionamentos dos ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) e da Educação (MEC) que possam surgir até lá. Caso não haja resposta satisfatória por parte do governo federal, a docência da UFMS vai discutir, na assembleia de 10 de junho, a antecipação do indicativo de greve.

postada.DSCN0069
Docentes durante Assembleia Geral Extraordinária desta terça-feira 26

Entre as atividades programadas para esta semana na Federal de Mato Grosso do Sul estão atividades que serão desenvolvidas pelo Sindicato e pelos/pelas docentes que visam à mobilização de estudantes e técnicos administrativos em torno de questões comuns aos três segmentos, como manifestações anticorte de 35% das verbas destinadas à Educação, antiterceirização e a favor de uma política que propicie condições para que não ocorra evasão de alunos/as da UFMS, como moradia estudantil, aumento no valor e no número de bolsas destinadas a graduandos e graduandas. Os/as estudantes têm apontado redução do número de bolsas concedidas na UFMS. A movimentação desta semana culmina com ato público e paralisação na próxima sexta-feira 29.

No plano salarial, ancorado pela necessidade de reestruturação da carreira, professores e professoras da UFMS decidiram, em abril deste ano, defender as reivindicações do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN) entregues ao MPOG e ao MEC. A proposta do Andes redimensiona os vencimentos iniciais com base no salário mínimo calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que em fevereiro deste ano foi de aproximadamente R$ 3,1 mil. De acordo com o Sindicato Nacional, esse seria o piso salarial de um/a docente iniciante 20 horas. O/a professor/a em início de carreira, com 40 horas, passaria a ganhar, em 2016, R$ 6,2 mil. O/a DE mestre/a iniciaria com seus vencimentos reajustados para R$ 9,6 mil. Já a professora e o professor DE doutor/a começariam ganhando R$ 16,2 mil.

Postada.DSCN0045
Stefanes: “De resposta concreta, não houve nenhuma”

O diretor-financeiro da ADUFMS, professor Marco Aurélio Stefanes, tem argumentado que a reestruturação da carreira docente nas Ifes é estratégica nas negociações. De acordo com Stefanes, parte dos salários dos/das docentes é constituída de gratificações, o que torna a categoria ainda mais vulnerável. Sem readequação da carreira em bases consistentes (assumida oficial e legalmente), a qualquer momento o governo pode tirar esses adicionais.

 Assessoria de Imprensa da ADUFMS

Postado em Sem categoria

Professores de universidades federais do Rio aprovam greve para a próxima semana

Agência Brasil. Edição: Armando Cardoso.

A Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, região metropolitana do Rio, aprovou na quinta-feira (21 de maio) a adesão dos professores à greve nacional dos docentes, com paralisação a partir do dia 28 deste mês. Por unanimidade, os técnicos administrativos da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também aprovaram indicativo de greve a partir de 29 de maio.

Em assembleia geral, no Campus do Gragoatá, os professores da UFF decidiram que a única saída para pressionar o governo federal a ampliar os investimentos para educação pública é a adesão à greve nacional.

Vice-presidente do Sindicato dos Professores da UFF, Gustavo Gomes disse que a greve geralmente é a última saída. Segundo ele, por causa dos impasses nas reuniões anteriores com o governo federal, essa acabou sendo a solução cabível. Gomes informou que as reivindicações dos docentes são, entre outras, negociação da data-base e a questão do contingenciamento de verbas para universidades federais.

A Associação dos Docentes da UFF (Aduff) volta a se reunir em assembleia no próximo dia 1º de junho.

Os técnicos administrativos da UFRJ participam, dias 23 e 24 de maio, em Brasília, da plenária nacional da Federação de Sindicato de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra).

Coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da UFRJ (Sintufrj), Francisco de Assis adiantou que a plenária da Fasubra debaterá reivindicações como aprimoramento da carreira dos técnicos administrativos, paridade entre ativos e aposentados e isonomia de direitos.

Postado em Sem categoria

Resultado parcial das eleições para o Conselho Fiscal da ADUFMS

ILUSTRAÇÃO ELEIÇÕES CONSELHO FISCAL ADUFMS
Arte: Canal Kids

A Comissão Eleitoral Geral comunica o resultado parcial das eleições para o Conselho Fiscal da ADUFMS. No Campus do Pantanal (CPAN, Corumbá) foi anulada a votação de 15 de maio de 2015 (sexta-feira). Novas eleições foram realizadas na última quarta-feira (20 de maio de 2015). Os votos em Corumbá (eleições de quarta-feira 20) ainda não foram totalizados.

VOTAÇÃO: CADA CANDIDADO

 

Alessandro Gustavo Souza Arruda

Sede da ADUFMS, Campo Grande:    quatro votos.

Campus de Campo Grande

LAC: quatro votos.

Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS): dois votos.

Campus de Chapadão do Sul (CPCS): um voto

Campus de Ponta Porã (CPPP): nenhum voto

Campus de Naviraí (CPNV): nenhum voto

Campus de Nova Andradina (CPNA): três votos

Campus de Paranaíba (CPAR): seis votos

Campus de Aquidauana (CPAQ): um voto

Campus Três Lagoas (CPTL): nenhum voto

TOTAL PARCIAL: 21 VOTOS

 

Edvaldo Correa Sotana

Sede da ADUFMS, Campo Grande:    nenhum voto.

Campus de Campo Grande

LAC: nenhum voto.

Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS): dois votos.

Campus de Chapadão do Sul (CPCS): um voto

Campus de Ponta Porã (CPPP): nenhum voto

Campus de Naviraí (CPNV): nenhum voto

Campus de Nova Andradina (CPNA): um voto

Campus de Paranaíba (CPAR): um voto

Campus de Aquidauana (CPAQ): 15 votos

Campus Três Lagoas (CPTL): um voto

TOTAL PARCIAL: 21 VOTOS

 

Luiz Carlos Batista 

Sede da ADUFMS, Campo Grande:    nenhum voto.

Campus de Campo Grande

LAC: um voto.

Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS): nenhum voto.

Campus de Chapadão do Sul (CPCS): nenhum voto

Campus de Ponta Porã (CPPP): cinco votos

Campus de Naviraí (CPNV): nenhum voto

Campus de Nova Andradina (CPNA): dois votos

Campus de Paranaíba (CPAR): nenhum voto

Campus de Aquidauana (CPAQ): três votos

Campus Três Lagoas (CPTL): um voto

TOTAL PARCIAL: 12 VOTOS

 

Paulo Cesar Duarte Paes

Sede da ADUFMS, Campo Grande:    nenhum voto.

Campus de Campo Grande

LAC: três votos.

Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS): sete votos.

Campus de Chapadão do Sul (CPCS): nenhum voto

Campus de Ponta Porã (CPPP): nenhum voto

Campus de Naviraí (CPNV): dois votos

Campus de Nova Andradina (CPNA): nenhum voto

Campus de Paranaíba (CPAR): um voto

Campus de Aquidauana (CPAQ): nenhum voto

Campus Três Lagoas (CPTL): um voto

TOTAL PARCIAL: 14 VOTOS

 

Ricardo Pereira de Melo

Sede da ADUFMS, Campo Grande:    nenhum voto.

Campus de Campo Grande

LAC: nenhum voto.

Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS): três votos.

Campus de Chapadão do Sul (CPCS): quatro votos

Campus de Ponta Porã (CPPP): nenhum voto

Campus de Naviraí (CPNV): um voto

Campus de Nova Andradina (CPNA): nenhum voto

Campus de Paranaíba (CPAR): nenhum voto

Campus de Aquidauana (CPAQ): nenhum voto

Campus Três Lagoas (CPTL): nenhum voto.

TOTAL PARCIAL: OITO VOTOS.

Postado em Sem categoria

ASSEMBLEIA NA PRÓXIMA TERÇA 26: DOCENTES DA UFMS AVALIAM PARALISAÇÃO!

Cartaz Assembleia web2O governo emperra negociações de itens centrais, como reajuste salarial e reestruturação da carreira docente nas universidades federais.  Sem resposta concreta dos ministérios do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) e da Educação (MEC), não nos resta alternativa, senão a mobilização forte e decisiva da nossa categoria!

Para tanto, a ADUFMS convoca Assembleia Geral Extraordinária para o próximo 26  de maio (terça-feira), às 8h, na sede do Sindicato em Campo Grande, avenida Senador Filinto Müller, 559, Vila Ipiranga, e nos campi da UFMS no interior, em espaços indicados pelas representações locais. De acordo com o Edital de Convocação a pauta da assembleia sobre a Campanha Salarial 2015-2016 é a seguinte: avaliação de indicativo de greve e indicativo de paralisação para 29 de maio (sexta-feira).

Entendemos que o movimento paredista não é bom para ninguém, em razão do contratempo que traz às nossas atividades de rotina e do prejuízo causado aos alunos e das alunas da UFMS. No entanto, diante do silêncio governamental, não resta outra coisa. Vamos ao embate contra a concepção financista e os cortes de gastos promovidos pelo Poder Central que afetam toda a sociedade, incluindo a Educação.

Não podemos – e não vamos aceitar! –, mais uma vez, que o preço do descontrole da máquina pública seja pago pelos/pelas servidores/as públicos/as federais, enquanto os banqueiros ganham dinheiro fácil com juros exorbitantes que só agravam a dívida pública do Estado.

O governo comprometido com os/as trabalhadores/as e a população mais pobre não pode sacrificar a Educação, instrumento eficiente de igualdade de oportunidades para todos e todas.  Há outros caminhos para ajustar a economia: combater a corrupção, taxar as grandes fortunas, a terra improdutiva, o sistema financeiro, revisar a política de incentivo aos grandes grupos econômicos e punir com rigor a sonegação fiscal. Basta coragem política para enfrentar aqueles que sempre se beneficiaram com o enxugamento do Estado.

CONTAMOS COM A PRESENÇA DE TODAS E DE TODOS!

Postado em Sem categoria

CONSELHO FISCAL DA ADUFMS: NOVAS ELEIÇÕES EM CORUMBÁ ACONTECEM NESTA QUARTA-FEIRA 20

A Comissão Eleitoral Geral anulou a votação para escolha de integrantes do Conselho Fiscal da ADUFMS, biênio 2015-2017, especificamente no Campus do Pantanal da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. A anulação das eleições em Corumbá ocorreu porque houve falha na interpretação do regimento, por parte de integrantes da Comissão Eleitoral Local. Erradamente, cada professor/a foi orientado/a a votar em três candidatos, o que contraria a disposição regimental que, nesse quesito, estabelecem o seguinte: “cada eleitor(a) poderá votar em um(a) único(a) candidato(a)”.

Para assegurar o direito de cada docente do CPAN-UFMS, filiado/a à ADUFMS, de votar para conselheiro fiscal, a Comissão Eleitoral Geral fará novas eleições em Corumbá. A nova votação, apenas no CPAN (Corumbá) – nos demais campi vale o pleito de 15 de maio de 2015 (última sexta-feira) –, está confirmada oficialmente para a próxima quarta-feira (20 de maio de 2015), das 8 às 11h e das 13 às 17h.

Os candidatos ao Conselho Fiscal da ADUFMS são os seguintes:

  • Paulo Cesar Duarte Paes e Ricardo Pereira de Melo, ambos do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS – Campus de Campo Grande);
  • Edvaldo Correa Sotana e Luiz Carlos Batista – os dois são do Campus de Aquidauana (CPAQ); e
  • Alessandro Gustavo Souza Arruda, da Escola de Administração e Negócios (Esan), Campus de Campo Grande.

 A divulgação dos resultados está prevista para 22 de maio. Reforçando que serão eleitos três membros titulares e dois suplentes. Totalizados os votos de todos os campi, de acordo com o Edital 01/2015 das Eleições do Conselho Fiscal da ADUFMS, artigo 1º, os três candidatos mais votados serão membros titulares. O quarto e os quintos colocados ficarão na suplência.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS

Postado em Sem categoria

 Professores convocados de MS ganham direito a férias proporcionais

Os professores convocados passarão a ter direito a receber as férias proporcionais a partir do julgamento do mérito da ação impetrada pela FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) o que deve acontecer nos próximos meses.

Na quarta-feira(13), a FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), obteve mais uma vitória sobre o governo do estado. O Governo foi ao STF (Supremo Tribunal Federal), para tentar um recurso e impedir que os professores convocados e em aulas complementares recebam às férias, conforme decisão do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso do Sul, em ação impetrada pela FETEMS.

No dia 16 de março, foi concluído o julgamento do Mandado de Segurança Coletivo, proposto pela Federação contra a Secretaria Estadual de Educação, pedindo que o judiciário estadual reconhecesse aos professores suplentes (convocação ou aulas complementares), o direito de usufruir ou ser indenizado ao período de férias proporcionais.

Até este julgamento os professores suplentes tinham apenas o direito de receber o abono de férias proporcionais.

No entanto, o Governo do Estado foi bater nas portas do STF, em Brasília(DF), através do instrumento jurídico denominado Reclamação Constitucional.

A assessoria jurídica da FETEMS, antes mesmo de ser notificada, apresentou as razões para indeferimento de qualquer medida liminar ou cassação da decisão do TJ/MS a pedido do Governo do Estado. Tal atitude impediu que a decisão do STF fosse feita apenas ouvindo os argumentos do Governo do Estado.

O Ministro-Relator, Antonio Dias Tofolli, analisando o pedido do Governo do Estado, negou o pedido de liminar, acatando integralmente as razões da FETEMS com a seguinte fundamentação:

“Em juízo de estrita delibação, entendo que a 3ª Seção Cível do TJMS concluiu que os dispositivos da Constituição Federal utilizados para fundamentar a decisão reclamada (arts. 7º, XVII e 39, §3º) constituem normas constitucionais de eficácia plena e, portanto, a plenitude de seus efeitos independem de complementação por norma infraconstitucional, o que afasta a plausibilidade da tese de atuação do Poder Judiciário em usurpação da competência do Poder Legislativo e, portanto, a alegada afronta à eficácia da Súmula Vinculante nº 37. (…) Ante o exposto, indefiro o pedido de liminar.”

Para o advogado da FETEMS, Dr. Ronaldo Franco, a fundamentação da decisão de negativa da liminar pedida pelo Governo do Estado praticamente sepultou a tentativa desesperada de continuar negando aos professores convocados e em aulas temporárias o direito de férias estabelecido na Constituição Federal desde 1988.

O presidente da FETEMS, Professor Roberto Botareli, ressaltou que a prioridade da entidade é o concurso público, todavia faz questão de pontuar: “Enquanto houver um convocado faremos de tudo para que ele tenha os mesmos direitos que o professor efetivo. Para a FETEMS isto é uma questão de princípio.”

“Esta tentativa do Governo do Estado no STF, é mais um exemplo de como a terceirização, ao precarizar a mão de obra, faz mal ao bolso dos trabalhadores e bem aos patrões que se enriquecem subtraindo direitos sociais dos trabalhadores. Por coincidência ou não esta decisão foi tomada no dia 13 de Maio”, pontuou, Botareli.

Atenciosamente

Postado em Sem categoria

Andes: representantes do Setor das Ifes decidem por greve a partir do dia 28 de maio

Reunião de representantes de seções sindicais do ANDES. foto1
Fotos: Andes-SN

Os professores e as professoras das instituições federais de ensino superior (Ifes) deflagrarão greve a partir de quinta-feira (28). A decisão foi tomada no sábado 16, durante reunião (fotos ao lado e abaixo) do Setor das Ifes do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), em Brasília (DF), com base nas deliberações das assembleias gerais realizadas por todo o país nas seções sindicais da entidade. A deliberação do Setor das Ifes será levada para as assembleias locais, que acontecem no período de 20 a 25 de maio.

 A deflagração da greve nacional dos docentes das Ifes foi aprovada pela ampla maioria dos/das representantes das 43 seções sindicais do Andes-SN presentes à reunião no Distrito Federal, da qual participaram 61 professores/as.

“Chamamos os professores em todo o país a participar das assembleias que serão realizadas para tratar da deflagração da greve. A hora é agora! As universidades e demais instituições federais de ensino estão à míngua, sem condições de funcionamento, enquanto o governo anuncia que vai promover mais cortes”, conclamou o presidente do Andes-SN, Paulo Rizzo, lembrando que as assembleias devem ocorrer entre os dias 20 e 25 de maio.

De acordo com o Sindicato Nacional, a greve foi o último recurso encontrado pelos/pelas docentes para pressionar o governo federal a ampliar os investimentos públicos na educação pública e dar respostas ao total descaso do Executivo frente à profunda precarização das condições de trabalho e ensino nas instituições públicas federais de ensino, muitas das quais já estão impossibilitadas de funcionar por falta de técnicos/as, docentes e estrutura adequada.

Outro ponto que influenciou a deliberação foi a recusa por parte do Ministério da Educação (MEC) em dar retorno à pauta apresentada pela categoria. Em abril de 2014, o governo interrompeu as negociações com o Andes em um momento em que parecia haver avanço, após concordância com algumas bases conceituais para reestruturação da carreira docente. Este ano, ocorreu reunião com a Secretaria de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, mas não houve nenhuma resposta à pauta de reivindicações dos/das docentes.Reunião de representantes de seções sindicais do ANDES. foto2

Reivindicações

A partir dos cinco eixos aprovados no 34º Congresso do Andes-SN:

1- defesa do caráter público da universidade;
2- condições de trabalho;
3- garantia da autonomia;
4- reestruturação da carreira;
5- valorização salarial de ativos e aposentados.

Uma vez referendada a decisão do Setor das Ifes do Sindicato Nacional, de começar a greve a partir do próximo dia 28, pelos/as professores/as de cada instituição, haverá notificação às reitorias e as atividades serão suspensas por tempo indeterminado. Deverão ser instaladas assembleias locais permanentes e constituídos os comandos locais de greve (CLGs).

Na quinta, 28 de maio, será instalado o Comando Nacional de Greve na sede do Andes em Brasília.

 

Postado em Sem categoria

Direção da ADUFMS e professores promovem dia de aula pública

mariuza 2
Fotos: Gerson Jara/ADUFMS

Como forma de sensibilizar a comunidade universitária sobre os motivos de indicativo de greve da categoria docente, dirigentes da ADUFMS promoveram nesta quinta-feira aulas públicas em pontos de concentração de alunos/as e professores/as no Campus de Campo Grande da UFMS. A primeira exposição de 20 minutos, realizada pela professora Mariuza Camillo (foto ao lado e última foto), aconteceu no corredor da unidade VI, envolvendo alunos de Pedagogia, Ciências Sociais e Biologia. Os/as demais dirigentes fizeram panfletagens em salas de aula. Outros/as professores/as, na capital e nos campi do interior, aproveitaram o momento para conversar com os/as estudantes, explicando os eixos da campanha salarial, a situação das universidades, a economia do país e as consequências do corte de verbas para a área educacional.

Em Campo Grande, Mariuza destacou os pontos da campanha salarial, acrescentando que o movimento paredista tem o propósito de ir além da questão do reajuste nos vencimentos e da reestruturação da carreira docente: é também contra o corte de verbas para o Ministério da Educação e para pressionar o Congresso para retirada PL 4.330 do Senado. O 4.330 estimula a terceirização na administração direta, autarquias e fundações, pondo em risco a realização dos concursos públicos.

stefanesA professora também mencionou a necessidade de garantir formas de financiamento e permanência dos/das alunos/as nas universidades, liberando recursos emergenciais para a assistência estudantil, bolsas tutoriais e de iniciação científica.

Na segunda aula, no corredor central do CCHS, o professor Marco Aurélio Stefanes (foto à esquerda) deixou claro que a comunidade universitária não pode aceitar que os custos do ajude fiscal recaia, mais uma vez, sobre as costas dos/das servidores/as públicos/as. Apontou que o governo federal tem outras formas de reduzir os gastos e incrementar a receita. Para tanto, basta ter vontade política.

Depois aconteceu nova aula em frente ao RU (Restaurante Universitário), com panfletagens e exposição sobre os pontos de reivindicações específicas e gerais apresentadas ao governo federal, todas sem nenhuma resposta afirmativa, com os técnicos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão reforçando a política de reduzir os gastos da máquina pública.

Ainda em Campo Grande, à noite, na unidade VI da UFMS, o presidente da ADUFMS, José Carlos da Silva, e o professor Paulo Cesar Duarte Paes discursaram fora e dentro das salas de aula sobre as reivindicações específicas da docência e a situação geral da universidade pública. “O que nós estamos discutindo não se trata apenas da questão salarial”, disse José Carlos, ao falar, em seguida, do corte de 30% dos recursos destinados às universidades federais, o que atinge, além de professores/as, estudantes e funcionários/as técnico-administrativos/as. Estudantes que apoiam o movimento docente falaram da necessidade de unificação da pauta de reivindicações porque tanto professores/as quanto alunos/as estão sendo atacados/as em seus direitos.

Nas ações ficou patente o interesse por informações sobre o indicativo de greve, com muitos/muitas se mostrando interessados/as em participar da Assembléia Geral marcada para o próximo dia 26, 8h, na sede da ADUFMS  em Campo Grande e demais campi do interior.

mariuza

No Campus de Aquidauana (CPAQ), também na quinta-feira 14, foram realizadas visitas aos/às professores/as e funcionários/as em suas salas, principalmente os/as docentes não-filiados/as. Foram discutidas a conjuntura, as pautas de reivindicação do Fórum dos Servidores Públicos Federais e as especificidades da pauta dos/as professores/as federais. Por meio de mensagens via e-mail,  sensibilizaram-se todos/todas os/as professores/as a conversar com seus/suas alunos/as. A diretora da ADUFMS no CPAQ, professora Ana Paula Salvador Werri, falou na abertura do V Seminário de Ensino de História sobre a situação do Magistério Superior federal.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS

Postado em Sem categoria

CONHEÇA OS CANDIDATOS AO CONSELHO FISCAL DA ADUFMS

Alessandro Gustavo Souza Arruda

Sou graduado, mestre e doutor em Administração. Estou na UFMS, Campus de Campo Grande, desde 2014. Anteriormente, desde 2004, atuava no Campus de Aquidauana (CPAQ,), de onde se origina outro candidato. Possuo, portanto, experiência nas questões vividas por nossos valorosos colegas do interior.

Também possuo experiência profissional de longa data em conselhos fiscais. Atuei no Conselho Fiscal da nossa Sicredi União, de 2006 a 2010, e me candidatei a pedido de um colega que conheceu meu trabalho nesse conselho (o professor Marco Aurélio) e que, agora, atua na diretoria desse nosso valoroso Sindicato.

Meu objetivo é contribuir com a ADUFMS, passando a experiência adquirida nos quatro anos de Conselho Fiscal da Sicredi. Ressalto que não tenho vínculo partidário e nenhum outro interesse político. Meu interesse é contribuir para a evolução da governança de mais essa importante instituição.

Agradeço e retribuirei com dedicação se meu nome for escolhido por ti.

Edvaldo Correa Sotana

Professor do curso de História, do Campus de Aquidauana, desde 2009. Participei da diretoria da ANPUH-MS (2012-2014) como tesoureiro e integro o Conselho Fiscal da mesma associação, biênio 2015-2016. Por acreditar na importância da militância política e na relevância de acompanharmos as ações realizadas em nosso Sindicato, gostaria de pedir seu voto para o Conselho Fiscal, assumindo, assim, o compromisso de zelar pelo nosso patrimônio.

Luiz Carlos Batista

A Carta Sindical

A ADUFMS, ao aprovar na sua assembleia a Carta Sindical do Sindicato de Professores da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, torna legal o PROIFES, ao garantir, com a adesão dessa carta, a legalidade da Federação da qual por sua vez pretende se desfiliar, mas ao adotar o caminho da legalidade que não é opção dessa atual diretoria da ADUFMS, que tenta caminhar através da legitimidade aprovada na retomada das assembleias. O fato de aprovarmos a Carta Sindical dá a legitimidade à entidade que pretendemos nos desfiliar.

Essa contradição coloca em xeque a atuação da atual diretoria que, com medo de fragmentar, o sindicato adota na prática a legalização de um fragmento nocivo ao desenvolvimento da categoria de professores das universidades federais brasileiras.

Nossa representação é nacional e a Carta Sindical que nos legitima é a do ANDES Sindicato Nacional, entidade que se aproxima mais do caráter assumido pela atual ADUFMS. Nesse sentido, não é coerente aprovarmos uma carta sindical para a unidade territorial de MS, já que somos contemplados pela Carta Sindical Nacional. Devemos ser uma subseção sindical do ANDES Sindicato Nacional e não adotarmos o PROIFES como nossa representação sindical.

Algumas razões para aceitarmos o ANDES como nosso legítimo representante ao nível nacional:

  • o ANDES com suas diferenças contempla mais a pluralidade do pensamento sindical nacional devido à sua histórica trajetória de lutas na defesa da classe trabalhadora; e
  • o ANDES defende uma autonomia sindical baseada na democracia, na defesa da categoria dos docentes das universidades federais brasileiras.

Por isso votei contra a aprovação da Carta Sindical da ADUFMS, porque fica evidente que ao aprovarmos essa Carta Sindical estamos contribuindo para a efetivação da legitimidade e da legalidade do PROIFES como nossa representante ao nível nacional.

Embora aposentado, espero que continuemos contribuindo na luta pela unidade e fazendo nossa opção pelo ANDES. Por isso, ao defender minha candidatura para o Conselho Fiscal da ADUFMS no próximo dia 15 de maio, solicito à direção da ADUFMS que convoque uma assembleia para deliberar sobre a desfiliação do PROIFES mantendo o ANDES como nosso sindicato nacional legítimo e legal

Esse ato em si desconsidera o resultado da aprovação da Carta Sindical da ADUFMS, caso façamos nossa opção pelo ANDES Sindicato Nacional.

É com essa determinação sempre coerente que me manifesto e peço seu voto para continuarmos defendendo essas posições dentro da ADUFMS.

Paulo Cesar Duarte Paes

Sou professor do Curso de Artes do CCHS e tenho atuado intensamente nos movimentos em prol da categoria dos docentes da UFMS desde 2007. Participei na coordenação do Comando de Greve de 2012 e na eleição da atual diretoria da ADUFMS. Mesmo estando afastado até o final do ano para o pós-doutorado, tenho participado semanalmente das reuniões da ADUFMS e conheço os trâmites do Sindicato para fundamentar uma atuação eficaz no Conselho Fiscal e também nas demais ações da ADUFMS. Conto com seu voto!

Ricardo Pereira de Melo

Possuo graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2003) e mestrado em Filosofia pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (2008). Atualmente sou professor adjunto da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Tenho experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Política. Sou professor do Curso de Filosofia do CCHS. A formação em Economia me capacita para fazer um bom mandato como conselheiro. Tenho experiência em planejamento.

Postado em Sem categoria

DOCENTES FILIADAS/OS ESCOLHEM NOVO CONSELHO FISCAL DA ADUFMS NESTA SEXTA-FEIRA 15

Professoras e professores filiadas/os à ADUFMS escolhem nesta sexta-feira 15 os integrantes do Conselho Fiscal da entidade para o biênio 2015-2016. As eleições acontecerão das 8 às 19 horas.  Em Campo Grande, as mesas receptoras de votos serão instaladas na sede da ADUFMS, LAC/Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) e Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS).

No interior os/as docentes sindicalizados/as poderão votar nos campi de Aquidauana (CPAQ), do Pantanal (CPAN, Corumbá), de Chapadão do Sul (CPCS), de Paranaíba (CPAR), de Nova Andradina (CPNA), de Naviraí (CPNV), de Ponta Porã (CPPP) e Três Lagoas (CPTL). Serão eleitos três membros titulares e dois suplentes.VEJA ONDE VÃO FUNCIONAR AS SEÇÕES DE VOTAÇÃO.

Os candidatos são os seguintes:

  • Paulo Cesar Duarte Paes e Ricardo Pereira de Melo, ambos do Centro de Ciências Humanas e Sociais (CCHS – Campus de Campo Grande);
  • Edvaldo Correa Sotana e Luiz Carlos Batista – os dois são do Campus de Aquidauana (CPAQ); e
  • Alessandro Gustavo Souza Arruda, da Escola da Administração e Negócios (Esan), Campus de Campo Grande.

 A divulgação dos resultados está prevista para 22 de maio.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS

Postado em Sem categoria