Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

Assembleias gerais

ADUFMS-Sindicato promove assembleias para avaliar impactos do congelamento do orçamento nos salários dos/as docentes

ASSEMBLEIAS.17097285_1897406960506204_4401654589782096647_oA ADUFMS-Sindicato marcou para esta terça-feira 14/03, às 8h, a realização de assembleias gerais em Campo Grande e nos campi do interior para avaliar as consequências das emendas constitucionais 95/2016 e 94/2016 no Plano de Carreiras dos Professores e das Professoras da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Na pauta também estão os impactos da Proposta de Emenda à Constituição 287/2016 no processo de aposentadoria dos/as servidores/as públicos/as.  A atividade faz parte também da programação de luta do 15 de março, dia Nacional de Luta contra o Golpe na Previdência.

O acordo salarial celebrado após a greve de 2015 entre a Federação de Sindicatos de Professores e Professoras de Instituições Federais de Ensino Superior e de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Proifes-Federação) garantiu o reajuste escalonado de 5,5 % em 2016 e para este ano mais 5%. Os percentuais, no entanto, não repuseram as perdas salariais acumulados dos últimos anos e sequer cobriram os índices inflacionários dos anos em que passou a valer o acordo. Para 2018 estava prevista uma nova negociação, com risco de reajuste zero em razão das mudanças que estabeleceram cortes no orçamento federal por vinte anos.

Já a reforma da Previdência põe fim à aposentadoria especial dos/as professores/as aos 25 anos de atividade. Além disso, eleva a aposentadoria de docentes para 65 anos, com a respectiva queda na paridade e fixação de tabela de transição. Aumenta-se o tempo médio de serviço para o pedido da aposentadoria. Põe fim ao atual modelo de concessão à insalubridade, deixando o novo sistema para posterior regulação, o que não há garantia, nem pressa de aprovação pelo atual Congresso. As medidas previstas pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC 287/2016) atinge principalmente as/os professoras/es que ingressaram na instituição nos últimos dez anos, hoje 50% em média do corpo efetivo da UFMS.

Além, disso a categoria vai apreciar a movimento contábil de 2015 e a proposta de reforma da sede da entidade, em Campo Grande.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Postado em Destaque com foto Tag , ,