Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

candidatos

Professoras/es sindicalizadas/os da UFMS escolhem nesta quarta-feira (dia 20) integrantes para o Conselho Fiscal da ADUFMS-Sindicato

Imagem baixada do site do site Politize! (http://www.politize.com.br/historia-do-voto-no-brasil/>)

Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) filiadas/os escolhem nesta quarta-feira 20 a nova composição do Conselho Fiscal da ADUFMS-Sindicato para o período 2017-2019. A eleição acontece das 8 às 19 horas. Sindicalizadas e sindicalizados da Cidade Universitária em Campo Grande, dos campi do Pantanal (CPAN, Corumbá), Aquidauana (CPAQ), Paranaíba (CPAR), Três Lagoas (CPTL), Nova Andradina (CPNA), Naviraí (CPNV), Ponta Porã (CPPP), Coxim (CPCX) e de Chapadão do Sul (CPCS) estão aptas/os a votar.

As seções vão funcionar nas sedes da ADUFMS-Sindicato em Campo Grande, Aquidauana e Três Lagoas. Locais de votação também vão estar à disposição das/os associadas/os do CPNA, CPAR, CPCS, CPCX, CPPP e CPNV em seus respectivos campi.  Em Corumbá a urna se localizará no Hall do bloco H do CPAN.

O Estatuto do Sindicato define as seguintes atribuições ao Conselho Fiscal:

  • “exercer a fiscalização financeira da ADUFMS-Sindicato mediante análise semestral dos documentos contábeis;
  • emitir parecer sobre o balanço, as contas e as despesas constantes do Relatório Anual da Diretoria;
  • prestar esclarecimentos sobre a situação financeira da ADUFMS-Sindicato, sempre que solicitado.”

Ainda de acordo com o Estatuto, o Conselho Fiscal é “constituído de três membros titulares e dois suplentes, sócios da ADUFMS-Sindicato” devidamente escolhidos por todas e todos sindicalizadas/os da entidade.

Candidata e candidatos ao Conselho Fiscal

  • Alessandro Gustavo Souza de Arruda – Escola de Administração e Negócios (Esan), Cidade Universitária, Campo Grande.
  • José Aparecido Moura Aranha – Esan
  • Anamaria Santana da Silva – Campus do Pantanal (CPAN, Corumbá).
  • Teófilo Fernando Mazon Cardoso – Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Alimentos e Nutrição (Facfan)
  • Marne Pereira da Silva – aposentado.

DÚVIDAS SOBRE A ELEIÇÃO PARA O CONSELHO FISCAL PODEM SER ESCLARECIDAS NA SECRETARIA DA ADUFMS-SINDICATO EM CAMPO GRANDE, AVENIDA SENADOR FILINTO MÜLLER, 559, VILA IPIRANGA, FONES 67 3346-1514 E 67 3346-1482.

 

Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Postado em Destaque com foto Tag , , , , ,

Candidatos/as à reitoria e à vice-reitoria confrontam programas de gestão da UFMS para 2016-2020. Comunidade universitária participa ativamente do debate

DSCN5004
Debate entre reitoráveis e vice-reitoráveis (fotos: Arnor Ribeiro/ADUFMS-Sindicato)
DSCN4949
Público assiste a debate atentamente

Estudantes, docentes e técnicos/as administrativos/as lotaram o teatro Glauce Rocha em Campo Grande na manhã de terça-feira 2 de agosto para debater com os candidatos a reitor e as candidatas a vice-reitora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul propostas de gestão da instituição no quadriênio 2016-2020. A polarização de posições políticas, aliadas a concepções administrativo-acadêmicas, marcou as intervenções e questionamentos entre debatedores/as e os três segmentos da UFMS: administrativas/os, professoras/es e acadêmicas/os. As candidaturas a reitor, Marcelo Turine (Juntos Somos UFMS) e Marco Aurélio Stefanes, do Movimento por Uma UFMS Diferente (MUDE), bem as candidatas a vice-reitora, Camila Ítavo e Alexandra Ayach, começaram o debate expondo seus currículos e pontos dos programas administrativos.

O candidato Turine definiu as discussões programáticas para reitoria e vice-reitoria da UFMS como um embate de visões e perspectivas. “Esse é o momento de debater ideias e sonhos.” A participação democrática na UFMS foi um dos aspectos mencionados pelo outro postulante ao cargo de reitor: Marco Aurélio. Ele enfatizou que a Universidade precisa ser uma “instituição séria, republicana”.

DSCN4929
Juntos Somos UFMS: Camila Ítavo e Marcelo Turine
DSCN4923
Movimento por uma UFMS Diferente (MUDE): Alexandra Ayach e Marco Aurélio

A cerca erguida para “proteger” a reitoria na Cidade Universitária em Campo Grande, apontada por segmentos da comunidade como um subterfúgio para evitar que manifestantes entrem no prédio da administração central, tornou-se metáfora para reflexão sobre os problemas da UFMS, como a demanda por mais docentes. “Nossas grades [cercas] são a falta de professor”, metaforizou Turine. Em outro momento do debate, o reitorável da chapa Juntos Somos UFMS prometeu uma administração sem obstáculos a docentes, discentes e técnicas/os administrativas/os. “A reitoria estará aberta.”

O reitorável Marco Aurélio disse que o cercamento do espaço da administração central configura uma universidade fechada à discussão de seus problemas. “Essa grade simboliza a falta de diálogo com a comunidade.” Segundo o candidato da chapa MUDE, a UFMS é uma instituição ultrapassada em relação à contemporaneidade. “Esse modelo de universidade já não cabe mais no século XXI.”

A ideia de uma universidade referência, sintonizada com seu tempo, embute a necessidade de planejar para definir com mais critérios a obtenção e a destinação de dinheiro para viabilizar projetos de ensino, pesquisa e extensão. Nesse sentido, o candidato Marcelo Turine discorreu, em uma de suas falas durante o debate, sobre a criação de setor específico dentro da UFMS para gerenciar as verbas. “É fundamental institucionalizar a captação de recursos”, ponderou Turine. O gerenciamento de fundos para a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul seria, de acordo com o candidato, por meio de uma agência direcionada exclusivamente para esse propósito.DSCN4934

DSCN4996Para Marco Aurélio, é preciso que haja uma sinergia, uma coesão interna para captação de recursos. O reitorável justificou essa necessidade de simetria citando a insuficiência de estrutura nos cursos de pós-graduação da UFMS. “Faltam salas de aula para os pós-graduandos estudarem.”

Candidatas a vice-reitora – A necessidade de política que contemple integrantes de comunidade da UFMS de todas as etnias, das mais diversas sexualidades (homossexualidade, heterossexualidade, bissexualidade, transexualidade, entre outras designações) e respeite decisões de ter ou não ter religião foi um dos assuntos debatidos pelas candidatas a vice-reitoria Alexandra Ayach, do Movimento por Uma UFMS Diferente (MUDE), e Camila Ítavo (Juntos Somos UFMS). “A diversidade não pode ser só no discurso”, alertou Alexandra Ayach durante o debate. “A nossa bandeira é o respeito a todos e a todas”, argumentou Camila Ítavo.

Serviço – A consulta à comunidade da UFMS visando à escolha do reitor e da vice-reitora acontece nesta quinta-feira 4 de agosto em todos os campi. Começou às 8h e vai até as 21h. Com exceção do Hospital Universitário (HU) em Campo Grande, onde as mesas receptoras de votos estão funcionando desde as 6h. O término da votação no HU é também às 21h. Em todos os locais, no interior e na capital, a votação ocorre ininterruptamente.

 

 

Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

 

Postado em Destaque com foto Tag , , , , ,