Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

Comissão de Justiça e Paz

Fórum de Combate à Corrupção Eleitoral pede que OAB-MS indique juiz titular de vara federal que investiga corrupção em Mato Grosso do Sul

Representantes do (FCCE-MS) afirmam que nomeação de novo juiz titular acelera a apuração de processos. Fotos – ACS-OAB

Representantes do Fórum de Combate à Corrupção Eleitoral de Mato Grosso do Sul  (FCCE-MS) reuniram-se com o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Mansour Elias Karmouche, na quinta-feira (26-10). As entidades presentes reivindicaram que fosse encaminhado expediente à presidência do Tribunal Regional da Justiça (TRF3), solicitando a nomeação do juiz titular da 3ª  Vara Federal de Mato Grosso do Sul, especializada em Crimes de Lavagem de Dinheiro e contra o Sistema Financeiro Nacional, vaga após o pedido de aposentadoria do então titular, juiz Odilon de Oliveira.

A instância tem que julgar processos de corrupção como a Lama Asfáltica, até o momento inconcluso, que envolve lideranças políticas de expressão como o ex-governador André Puccinelli, o ex-prefeito de Campo Grande Nelson Trad Filho e empreiteiras do Estado. Também é responsável por casos desvios na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), como a operação Sangue Frio, e em outros órgãos federais investigados pela Polícia Federal e pelo Ministério Público da União em Mato Grosso do Sul.

O presidente da OAB-MS confirmou que já havia antecipado e encaminhado o pedido de nomeação.  Destacou que a situação não prejudica as análises de processos de corrupção. No entanto, a presença do titular iria dar agilidade aos trabalhos. Reafirmou o compromisso da entidade no combate à corrupção. Destacou o pedido de impeachment do presidente Temer  apresentado pela OAB Nacional.

Mansour Elias reclamou da falta de mobilização das entidades, pois sequer aconteceu panelaços e mobilizações de rua nas votações das denúncias contra Temer no Congresso Nacional, mesmo com constantes notícias da imprensa sobre o assunto. As denúncias são consideradas pelo advogado mais graves e contundentes do que as ocorridas contra Dilma Rousseff.   Defendeu também a continuidades das investigações da operação Lava Jato.

O representante do FCCE-MS, Lairson Palermo, condenou, porém, a postura tendenciosa do magistrado e o desrespeito aos princípios básicos do estado democrático de direito praticados em algumas decisões.

Participaram da reunião a ADUFMS-Sindicato, por meio de seu diretor de Assuntos de Aposentadoria, Oswaldo Rodrigues;  Gerson Canhete Jara, pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (Sindjor-MS); Iara Gutierrez Cuellar, Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul (Fetems);  Lairson Palermo, da Comissão de Justiça e Paz da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB, Regional Oeste 1); e advogados da FCCE-MS.

 

Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Postado em Destaque com foto Tag , , , , , , , , , , ,