Organização sindical dos docentes e das docentes da UFMS

falecimento

Falecimento da agricultora familiar Maria Josefina da Anunciação

A ADUFMS-Sindicato manifesta consternação pelo falecimento da agricultora familiar aposentada Maria Josefina da Anunciação, ocorrido nesta terça-feira 4 de setembro de 2018, por insuficiência respiratória. O Sindicato se solidariza com parentes e amig@s de Maria Josefina. Mãe da Professora Doutora Vicentina Socorro da Anunciação, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS),  Maria Josefina tinha 88 anos de idade.

Seu corpo está sendo velado na Capela da Pax Mundial, avenida Presidente Ernesto Geisel, 3887, em frente ao Horto Florestal em Campo Grande. Maria Josefina será sepultada nesta quarta-feira 5 às nove horas no cemitério Park Monte das Oliveiras, avenida Guaicurus, próximo ao museu José Antônio Pereira, em Campo Grande.

Josefina Maria era uma lutadora pela causa feminista. A docente Vicentina Socorro descreve sua mãe como uma pessoa de grande amizade. “Era de muita luta”, recorda a professora.

Postado em Destaque com foto, Sem categoria Tag , , , ,

Nota de falecimento – professor José Carlos Dorsa Vieira Pontes

A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos e close-up
Corpo do ex-diretor do HU foi encontrado em sauna. As causas da morte estão sendo investigadas (Foto: Diário Digital.com.br)

Com pesar, a ADUFMS-Sindicato comunica a morte do professor José Dorsa Vieira Pontes, professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Famed-UFMS), ocorrida domingo 11 de março. O docente era filiado à ADUFMS-Sindicato. O velório está marcado para às 12h desta segunda-feira no cemitério Parque das Primaveras.

De acordo com a Plataforma Lattes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o docente era graduado “em Medicina pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (1989), Especialista em Cardiologia Clínica e Cirurgia Cardiovascular, [tinha] mestrado em Cardiologia & Cirurgia Cardiovascular pela Fundação Cardiovascular São Francisco de Assis (1994) e doutordo em Cardiologia e Cirurgia Cardiovascular pela Fundação Cardiovascular São Francisco de Assis (1998). [Era] professor ASSOCIADO da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, membro concursado do Serviço de Cirurgia Cardiovascular do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, chefe da Cardiologia Clínica do Hospital Evangélico de Mato Grosso do Sul, ex-presidente da Regional Centro-Oeste da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e orientador da Fundação Cardiovascular São Francisco de Assis. [Tinha] experiência na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Cardiovascular, atuando principalmente nos seguintes temas: cirurgia cardíaca e insuficiência miocárdica. Ex-chefe do Departamento de Clínica Cirúrgica (2005 -2009). [Ex]-diretor-geral do Núcleo de Hospital Universitário da UFMS (2009-2013)”.

Leia também: Gestão conturbada no HU.

Postado em Destaque com foto Tag , , ,

Nota de Falecimento – professor Luiz Alberto de Castro Coimbra – Totonho

 Fonte:  CPAN-UFMS

Nessa quinta-feira (1º/03/2018) a UFMS, em especial o Campus do Pantanal, amanheceu enlutada. O nosso querido professor Luiz Alberto de Castro Coimbra faleceu na cidade de São Paulo, por volta da 0h40min, para onde tinha sido transferido, via UTI aérea, após sofrer um grave AVC.

O nosso professor TOTONHO, apelido pelo qual era conhecido e tratado por toda comunidade acadêmica, nasceu em 14/10/1953. Tinha titulação em Economia, Ciências Contábeis e Especialização em Controladoria. Era filiado a ADUFMS-Sindicato.

Ingressou na UFMS via concurso público em 8/03/1984. Foi lotado no Curso de Ciências Contábeis, no nosso Campus do Pantanal, no qual permaneceu até sua aposentadoria ocorrida em 09/08/2011. Era professor de Contabilidade nos cursos de Administração e Ciências Contábeis.

Professor de personalidade forte, convicto de suas posições, enérgico, ético, criava facilmente atritos que logo depois se transformavam, milagrosamente, em amizade terna e incondicional com todos as/os suas/seus alunas/os, professores/as e técnicos/as. Cansávamos de ver estudantes chorando pelos corredores por motivo de atrito com TOTONHO quanto às questões básicas de relacionamento docente-estudante: algum tempo depois estavam essas/esses alunas/os rodeando e dando boas risadas com o famoso Totonho. Tempos e pessoas maravilhosas.

Foi um grande líder no Campus do Pantanal, empunhando bandeiras que necessitavam de alguém com personalidade forte, destemido, ousado, incansável e ao mesmo tempo integrador, visionário, resolvedor de conflitos.

Por suas mãos e liderança passaram discussões e comissões importantes como implantação do Curso de Direito, Criação da Universidade do Pantanal etc.

O cotidiano do Campus do Pantanal já sentia sua ausência quando de sua aposentadoria. Agora ele estará iluminando toda a comunidade acadêmica como uma estrela que brilhou e brilhará sempre para todas/os as/os que com ele conviveram.

Saudades eternas – prof. Totonho.  (14/10/1953 – 01/03/2018)

Campus do Pantanal

Postado em Destaque com foto Tag , ,

Nota de pesar pelo falecimento do professor Roberto Ortiz Paixão

Foto reproduzida do site da UEMS (<http://www.uems.br/noticias/detalhes/nota-de-falecimento-123144>)

A ADUFMS-Sindicato comunica, com pesar, o falecimento do professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), Roberto Ortiz Paixão, ocorrido nesta sexta-feira 9 pela manhã. Roberto fazia tratamento contra câncer. Seu corpo está sendo velado na capela do Cemitério Memorial Park em Campo Grande, rua Francisco dos Anjos, s/n (pela avenida Senador Filinto Müller, no sentido centro-bairro, à esquerda), bairro Santa Branca. O sepultamento será neste sábado 10 de fevereiro às 8h30min no Memorial Park.

O docente atuou nos cursos de Licenciatura Plena em Geografia, Bacharelado em Geografia e do Mestrado Profissional em Educação, na Unidade Universitária da UEMS em Campo Grande. Segundo nota da UEMS, Roberto era “coordenador do Grupo de Estudo em Fronteira, Turismo, Território (Gefronter), articulador da Rede Universitária da Rota de Integração Latino-Americana (UniRila)”.

Em 1994 graduou-se em Licenciatura e Bacharelado em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Em 1999 defendeu a dissertação O lixo urbano de Aquidauana-MS: diagnóstico, aspectos não-técnicos e medidas mitigatórias, no Mestrado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Cursou Doutorado em Geografia Humana na USP. A pesquisa para doutoramento resultou na tese Globalização, turismo de fronteira, identidade e planejamento da região internacional de Corumbá/MS (2006).  Publicou textos científicos em periódicos e anais de congresso. A parceria de Roberto com outros pesquisadores rendeu capítulos em livros organizados (obras coletivas), além de o geógrafo lançar, pela editora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o livro Turismo de fronteira – identidade e planejamento de uma região (2006).

De acordo com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, “Roberto começou a lecionar Geografia em 1997, numa escola rural em Corumbá. Em 2004, entrou para a UEMS, primeiro em Dourados e depois seguindo para Jardim. Em 2010, assumiu a coordenação do curso de Licenciatura em Geografia da UEMS de Campo Grande”.

O professor Roberto deixa sua companheira Maria Helena da Silva Andrade, professora da UFMS, e o filho Pablo de Andrade Paixão. “Toda despedida é dor… tão doce todavia, que eu te diria boa noite até que amanhecesse o dia”, frase de William Shakespeare, postada por Maria Helena no facebook. Acrescentou a companheira de Roberto: “Comunico, já com saudade, que meu companheiro Roberto Ortiz Paixão alçou seu voo rumo à Eternidade, onde dor e sofrimento são palavras desconhecidas.”

Postado em Destaque com foto Tag , , , , ,

Nota de pesar pelo falecimento do professor Liel Trindade de Vargas

A ADUFMS-Sindicato comunica com pesar o falecimento de Liel Trindade de Vargas, professor aposentado da Faculdade de Odontologia (Faodo) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Liel faleceu na madrugada da quarta-feira 3 de janeiro de 2018, aos 81 anos de idade, no Hospital do Coração em Campo Grande, em decorrência de complicações como pneumonia pós-cirurgia neurológica, trombose e insuficiência renal aguda. Foi sepultado no mesmo dia de sua morte.

Empresário e pecuarista, o professor de Dentística se aposentou de suas atividades acadêmicas em 1996. Era filiado à ADUFMS-Sindicato.

Liel deixou duas filhas – Sandra de Lima Vargas Simões, Susane de Lima Vargas – e três filhos (Yuri Jacks Trindade Vargas, Hélio Henrique Neto e Candido de Lima Vargas), além da companheira Maria Aparecida Henrique.

Aos familiares, amigos e amigas nossas condolências.

Postado em Destaque com foto, Sem categoria Tag , , , , , ,

Nota de pesar pelo falecimento do professor Flávio Dantas dos Santos

Professor Flávio Dantas dos Santos (segundo na frente, da esquerda para a direita) – foto: Arquivo/ADUFMS-Sindicato

A ADUFMS-Sindicato comunica com pesar o falecimento do professor Flávio Dantas dos Santos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), ocorrido nesta terça-feira 5 de dezembro em decorrência de problemas cardíacos.

O Sindicato se solidariza com a família e amigos do docente neste momento de profunda consternação. Flávio completaria 71 anos de idade na próxima quinta-feira 7. Deixa a esposa Luzia Anunciação. Tem quatro filhos e sete netos.

Ele atuou no movimento sindical docente da UFMS como diretor da ADUFMS. Foi diretor do antigo Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS-UFMS), em Campo Grande. O pesquisador era aposentado. Antes da aposentadoria, desenvolvia atividades acadêmicas no Laboratório de Patologia Clínica da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul.

Seu corpo está sendo velado na capela da Pax Real, avenida Bandeirantes 1386 Vila Bandeirante em Campo Grande. O velório começou às 18 horas desta terça-feira 5. O enterro será nesta quarta-feira 6 às 15h30min no cemitério Memorial Park, rua Francisco dos Anjos 670, bairro Santa Branca, Campo Grande.

 

 

Postado em Destaque com foto Tag , , , ,

Nota de Pesar pelo falecimento do professor Nazareth dos Reis do Câmpus de Três Lagoas

Professor Nazareth – eterno companheiro de trabalho e amigo

A ADUFMS-Sindicato e a ADLeste, seção sindical do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), comunicam com pesar o falecimento do professor aposentado Nazareth dos Reis, da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Campus de Três Lagoas (CPTL), e filiado à ADUFMS-Sindicato. O docente morreu na madrugada nesta quinta-feira 21 de setembro às 5 horas.

O companheiro ministrava aulas de História no CPTL por mais de vinte anos e se aposentou em 2007. Era torcedor do São Paulo. Tinha câncer.

Reis atuou sempre em defesa da educação, dos avanços sociais e econômicos do nosso País. À família, parentes e amigas/os todo o conforto diante da perda irreparável.

Na linha do tempo de Nazareth dos Reis no facebook, seu sobrinho Rafael dos Reis Ferreira postou o seguinte texto sobre o docente falecido:

Como uma singela homenagem ao Professor e Tio Nazareth dos Reis, eis sua Dissertação de Mestrado (Tensões sociais no campo: Rubinéia e Santa Clara D’Oeste) defendida em 1990 que está agora disponível no Site da Família Reis. 

Nazareth, como professor e mestre, formou gerações de estudantes nas escolas da região de Santa Fé do Sul e na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS).

Demorei dois longos dias para digitalizar sua Dissertação. E tive o prazer de comunicar ao Tio desse feito. Ele me disse, emocionado na época, que essa era a realização de um sonho: deixar como legado seu trabalho acadêmico.

Um professor e pesquisador da Unesp [Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”] de Rio Preto me procurou recentemente interessado no seu trabalho. Ele me disse que já há algum tempo vinha procurando a Dissertação do Tio Nazareth para estudar o Noroeste Paulista e não encontrava.

Eu compartilhei a Dissertação com ele e disse que a partir de então esse trabalho deixaria o esquecimento da Biblioteca da PUC-SP [Pontifícia Universidade Católica de São Paulo] para se tornar público, com a autorização do Tio, que na época estava vivo.

Um grande abraço ao mestre!”

 

Postado em Destaque com foto Tag , , , , , , ,

Nota de pesar pelo falecimento de Edite Cristovão dos Santos

DSCN6893
Foto: Arnor Ribeiro/ADUFMS-Sindicato

O Sindicato dos Professores das Universidades Federais Brasileiras dos Municípios de Campo Grande, Aquidauana, Bonito, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas, no Estado de Mato Grosso do Sul (ADUFMS-Sindicato), comunica com pesar o falecimento da senhora Edite Cristovão dos Santos, 86 anos de idade, mãe da técnica administrativa da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Erotilde  Ferreira dos Santos, lotada na Coordenadoria dos Órgãos Colegiados (COC).

A ADUFMS-Sindicato – diretoria e funcionários/as – solidariza-se com a família Santos e os/as amigos/as.

Edite morreu domingo 22, no Hospital Unimed, onde desde 30 dezembro de 2016 fazia tratamento de uma pneumonia bacteriana e contraiu uma forte infecção hospitalar.

O velório (foto) começou às 6 horas desta segunda-feira 23 na capela do cemitério Memorial Park em Campo Grande, rua Francisco dos Anjos: pela avenida Senador Filinto Müller, sentido centro-bairro, vira-se à esquerda logo após o cemitério Parque de Campo Grande. Para quem seguir esse sentido, o Memorial Park é o primeiro à esquerda, na Francisco dos Anjos. A cerimônia de sepultamento acontecerá nesta segunda-feira 23 às 15h30min, no mesmo endereço em que o corpo está sendo velado.

Edite completaria 87 anos de idade no dia 22 de fevereiro.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Postado em Destaque com foto Tag , , , ,

Nota de pesar pelo falecimento do professor Jonas Lobato

jonas-lobato
Foto reproduzida do Facebook

A ADUFMS-Sindicato comunica com pesar o falecimento do professor de Matemática Jonas Lobato Vermieiro. Mestre em Educação Matemática pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o docente tinha 27 anos de idade. Trabalhava no Centro de Apoio Pedagógico para Atendimento às Pessoas com Deficiência Visual de Mato Grosso do Sul (CAP-DV-MS) vinculado à Secretaria de Estado de Educação.  Era colaborador do Curso de Pós-Graduação lato sensu em Educação Especial da UFMS em Campo Grande. Aos familiares e aos/às amigos/as de Vermieiro nossa solidariedade neste momento de profunda tristeza e dor.

Segundo informações do jornal online Campo Grande News, o professor afogou-se na noite dessa segunda-feira 7, após cair do caiaque em que navegava no lago do Eco Hotel, em Campo Grande, onde participava de um congresso. O enterro será na manhã desta quarta-feira 9 em Dourados.

Assessoria de Imprensa da ADUFMS-Sindicato

Postado em Destaque com foto Tag , , ,

Sindicato comunica com pesar o falecimento da professora Iromar Maria, da UFMS. Sepultamento acontece ao meio-dia desta quinta-feira 25 de agosto de 2016

Iromar e DanO Sindicato dos Professores das Universidades Federais Brasileiras dos Municípios de Campo Grande, Aquidauana, Bonito, Chapadão do Sul, Corumbá, Coxim, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Ponta Porã e Três Lagoas, no Estado de Mato Grosso do Sul (ADUFMS-Sindicato), comunica com pesar o falecimento da professora Iromar Maria Vilela, ocorrido nesta quarta-feira 24 de agosto, após uma árdua luta contra o câncer. Seu corpo será velado a partir das 21 horas desta quarta-feira 24 na capela do Cemitério Jardim das Palmeiras, em Campo Grande, na avenida Tamandaré, 6934. No mesmo cemitério ocorrerá o sepultamento, ao meio-dia (12h) desta quinta-feira 25 de agosto.

A diretoria da ADUFMS-Sindicato se solidariza com familiares e amigas/os de Iromar Maria neste momento de profunda consternação. Ela atuava no Centro de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (CCHS-UFMS), onde era, de acordo com informações contidas no Currículo Lattes,  docente “das disciplinas Língua Espanhola, Prática de Ensino de Língua Espanhola, Estágio Supervisionado em Língua Espanhola”. A professora “foi coordenadora do Curso de Extensão – Projele – Cursos de Línguas Estrangeiras, de janeiro de 2005 a dezembro de 2009″.

Ainda conforme o Lattes, Iromar Maria graduou-se “em Letras Português/ Espanhol pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho – UNESP/São José do Rio Preto (1988)” e especializou-se “em Língua e Literatura Espanhola – ICI/AECI – Instituto de Cooperación Iberoamericano (1992)”. Tinha formação “superior de Español – Universidad de Salamanca – DELE (1998)”. Era mestra “em Língua Espanhola, Literatura Espanhola e Hispano Americana pela Universidade de São Paulo – USP (2002)”.

A professora era casada com Dan Jeferson e tinha um filho (Felipe).

Postado em Sem categoria Tag , , ,

PROFESSOR EUSEBIO DEIXA LEGADO DE LUTA E COMPROMISSO COM A EDUCAÇÃO PÚBLICA

Foto baixada do “site” da FETEMS

Ficamos sem o companheiro de luta, historiador e agente político de transformação social, o professor Eusebio García Barrio (foto ao lado). Homem de grande bagagem acadêmica, defensor das causas sociais e dos/as menos favorecidos/as. Esteve na linha de frente na fundação da antiga Feprosul (Federação dos Professores de Mato Grosso do Sul), coordenando uma das primeiras greves do magistério estadual em razão dos atrasos salariais constantes,  no então Governo Pedrossian. Eusébio foi professor de História no antigo Centro Universitário de Aquidauana (Ceua) da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), hoje Campus de Aquidauana (CPAQ). Ele foi diretor do Ceua na década de 1990.

Era solidário aos movimentos de greve por melhores salários, principalmente na era FHC. Apoiava a luta estudantil, fazendo gestões permanentes com o ex-reitor da UFMS, Fauze Gattas, para transferir os estudantes do antigo Ceua do alojamento insalubre, no anfiteatro da unidade. Conseguiu a locação de residência que por três anos serviu de casa aos discentes carentes que vinham das pequenas cidades do interior para estudar na UFMS.

A direção da ADUFMS-Sindicato se solidariza à família  com a convicção que sua passagem fez a diferença, ajudou mudar a história dos/das professores/as do ensino fundamental, médio e superior do Estado e na UFMS e contribuiu para superar um pouco das mazelas sociais que ainda perduram em nosso país.

CONHEÇA UM POUCO DA TRAJETÓRIA DE EUSEBIO BARRIO

Primeiro presidente da Feprosul participa de almoço comemorativo no Simted de Aquidauana

 

Por Azael Júnior/FETEMS ( 9/10/2012)

 

O Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de Aquidauana, no dia 09 de setembro de 2012, promoveu um almoço para homenagear os ex-dirigentes da entidade. Entre os homenageados personagens que protagonizaram a história da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul). e do movimento sindical sul-mato-grossense.

Entre as personalidades homenageadas estava o professor, Eusébio Garcia Barrio, ex presidente da antiga, FEPROSUL, nome que precedeu ao da FETEMS. Nascido em Valencia, região localizada a leste da Espanha, Eusebio veio para o Brasil aos 26 anos, desembarcando no Rio de Janeiro atraído, “por uma terra de oportunidades”, comenta.

Aquidauana foi uma das “oportunidades” dessa época lembra o espanhol que ainda hoje traz no inconfundível sotaque carregado a lembrança de sua ancestralidade.

Ele conta que ser professor “naquele tempo” era quase um ato de bravura. ”Eu comecei a trabalhar em março de 1975 e recebi meu primeiro salário em novembro todos de uma vez, eram folhas de pagamento feitas pelas agências de educação que demoravam meses para serem encaminhadas e depois o salário chegava quase sempre atrasado.”

Quanto à falta de democracia nas escolas públicas, ele comenta que era algo gritante e refletia o que acontecia com a sociedade na época. “Os sindicatos eram considerados ilegais, só podíamos nos reunir em associações .Vivíamos na Ditadura e nas cidades do interior o controle era muito maior, muitas vezes tínhamos que nos reunir a noite depois das aulas”, conta.

A luta no movimento sindical foi uma consequência do “sangue quente espanhol” aliado a indignação e as condições de trabalho impostas pelo governo estadual. “Tínhamos que unir a categoria porque o governo nos respeitava a medida que fazíamos nossas mobilizações nas ruas .O índice de reajuste salarial era proporcional ao tamanho da mobilização que conseguíamos fazer.”

A presidência da FEPROSUL, “surgiu” por aclamação em março de 1977. “Participei da discussão e da formação da Federação me orgulho de continuar participando da vida sindical de alguma forma. Hoje olhando a história vejo que valeu a pena nossas lutas porque temos sindicatos mais bem organizados e a categoria mais fortalecida”, salienta.

Postado em Destaque com foto, Sem categoria Tag , , , , , 1 Comentário