Plenária remota de docentes indica continuidade de ações para suspender atividades a distância e calendário acadêmico

05 abr, 2020 Adufms

Professores recebem homenagem em celebração ao centenário de Paulo Freire

 Estudos dirigidos e outras propostas adotadas pelo COE ocorreram por meio de regime de exceção



⇶ UM GRUPO EXPRESSIVO de professora(e)s da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) avalizou a direção da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional para que continue com as ações pelo fim das atividades acadêmicas a distância e pela suspensão do calendário acadêmico do primeiro semestre.

A decisão aconteceu na 1ª Plenária Virtual da gestão Valorização Docente, ocorrida na quinta-feira 30 de abril, das 14 às 17 horas, com participação, em tempo real, de docentes da Cidade Universitária de Campo Grande e campi do interior.  O evento on-line reuniu mais de 150 pessoas ligadas à UFMS para discutir democraticamente e em caráter consultivo as atividades desenvolvidas pela Universidade envolvendo a pandemia do novo coronavírus.

O presidente da ADUFMS, Marco Aurélio Stefanes (foto), coordenou a Plenária Virtual, com o auxílio do professor Fábio Henrique Viduani Martinez. Na abertura, Marco Aurélio informou que a entidade já havia entrado com representação no Ministério Público Federal (MPF) na tentativa de efetivar os dois pleitos: pelo fim das atividades acadêmicas a distância e pela suspensão do calendário acadêmico do primeiro semestre. 

Stefanes confirmou que solicitou à Assessoria Jurídica da Seção Sindical a preparação de ação civil pública diretamente na Justiça, no sentido de garantir a qualidade de ensino em razão das ilegalidades estabelecidas nas atividades a distância, entre as quais aulas, pois as decisões referentes ao ensino deviam ocorrer nos conselhos Universitário (Coun) e Diretor (CD).

A petição no MPF requer também a garantia de participação no Comitê Operativo de Emergência (COE), visto que o pedido da entidade solicitando participação das entidades representativas dos segmentos da comunidade universitária na instância, até o momento, não obteve resposta por parte da administração central da UFMS. 

Na Plenária foi destacado que o modelo de estudos dirigidos e outras propostas adotadas pelo COE ocorreram por meio de regime de exceção. Os conselhos de unidades setoriais  e de cursos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul não foram consultados.


As/os participantes da plenária online sugeriram a formação de uma comissão responsável pelo acompanhamento, em tempo real, da situação dos cursos, faculdades, escola, institutos e câmpus que se posicionaram contra a continuidade do calendário acadêmico. Propuseram ações políticas capazes de ampliar o número de colegiados que defendam a suspensão do calendário acadêmico. 


A Plenária pautou a necessidade de discussão no Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) em torno da decisão de decretação de greve por tempo indeterminado, em razão do congelamento dos salários e perda de qualidade da educação superior, bem como pela adoção de estratégias em relação ao ensino. 

Uma docente aposentada lembrou que a há mais de trinta anos já se vinha efetivando ensino a distância (EaD) na UFMS, mas com a administração atual isso passou por total desmantelamento, inclusive mudança para local impróprio. De repente, por situação atípica, o modelo passou a ser a única alternativa da atual administração. 


Como forma de dar consistência às discussões foi instituída a Comissão de EaD com o propósito de fundamentar uma crítica ao modelo de ensino remoto proposto pela UFMS e de apresentar bases metodológicas de um projeto de educação a distância para um ensino de qualidade.


A (o)s debatedora(o)s referendaram a realização de plenária virtual quinzenal para debater e encaminhar questões de ensino na UFMS e de defesa de direitos da categoria docente. Pediram a criação de fórum permanente de professora(e)s. Foi solicitado que a Seção Sindical encaminhe pedido à administração central da Universidade de realização de plenária virtual com o reitor Marcelo Augusto Santos Turine, aberta à participação de toda(o)s a(o)s docentes para discutir medidas referentes ao novo coronavírus, resoluções em relação ao ensino ministrado por meio das aulas programadas e à volta das atividades presenciais em plena pandemia, o que pode acarretar contaminação de estudantes, professora(e)s e técnica(o)s administrativa(o)s.

Foi proposta a efetivação de estratégias de comunicação que resultem na produção de materiais institucionais com objetivo de demonstrar os equívocos da atual proposta de estudos dirigidos e da volta às aulas presenciais, direcionados à UFMS e à sociedade em geral. Inclusive matérias pagas em jornal e mídias digitais.

Junto com a produção de material foram recomendadas mobilizações de aluna(o)s a distância para compreender os problemas decorrentes do modelo atual de ensino em aulas programas, do corte de bolsas, principalmente na grande área de humanas, e outros problemas atualmente vividos pela(o)s discentes. 

O Coun não foi consultado sobre a imposição do modelo de estudos. 


Assessoria de Imprensa da ADUFMS Seção Sindical ANDES Sindicato Nacional

Compartilhe: